Premonições: Ocerco - A desolação (ep)



"Signal Rex is proud to present the second EP of one of Portugal's most promising new bands, OCERCO's A Desolação. Set to be released as a special digifile CD nest, limited to 500 copies, A Desolação comprises three seamlessly linked songs of splendor and tension, trance and catharsis. OCERCO's sound stems from the post-black metal canon, but safely eludes the negative connotations associated with such an appellation. More accurately, the band's commitment to textural development and labyrinthine, drawn-out construction signal a strive for more complex corridors of spirituality. From there, A Desolação explodes and recoils, twists and turns, always bathed in an aura of the unknown and unease - and yet, its complexities are ever so subtle and most rewarding. Listeners will find a kinship to bands like Wolves in the Throne Rome, Altar of Plagues, Ash Borer, and the likes, but across the 20 minutes here, OCERCO stake a claim for their own identity. Be ready for the siege - be ready to be taken by nature herself!
For further information, shows and other related issues, contact us at: signalrex@gmail.com
Releases February 5, 2016
Recorded during January/August 2015 - Mastered by Sergio Prata Almeida @ Nirvana Studios, Lisbon - Cover artwork and Logo concept by Phill Robinson / Níðhöggr Studio, United Kingdom"

Dakhma - Astiwihad​-​Zohr


"Hail the demon that tieth the noose of mortality around the necks of men at birth. They are Astiwihad, in eternal opposition to the six Amesha Spentas" This is the audial essence of destruction, as sought by Az; it is the music of death."

Medicação 2015


E pronto, a lista final com aquilo que mais gostei ou me pareceu de maior relevância durante este ano...o primeiro lugar de Triumvir Foul surpreendeu porque bastaram poucos dias para degolar a autentica guerra dos tronos em que Blaze of Perdition e Au-Dessus se encontravam...é só muito provavelmente um dos melhores albuns de Death-Metal dos ultimos anos...o album vai sair por estes dias....

1 Triumvir Foul - Triumvir Foul

2 Au-Dessus - Au Dessus

3 Blaze of Perdition - Near Death Revelations

4 Genocide Shrines - Manipura Imperial Deathevokovil: S.R.P.D.

5 CHRCH - Unanswered Hymns

6 Devouring Star - Through Lung and Heart

7 Il'Ithil - Ia'Winde

8 Regarde Les Hommes Tomber - Exile

9 Leviathan - Scar Sighted

10 Awe - Providentia

11 Vanum - Realm of Sacrifice

12 Amestigon - Thier

13 One Master - Reclusive Blasphemy

14 Tribulation - The Children of the Night

15 Acherontas - Ma​-​IoN (Formulas of Reptilian Unification)

16 With The Dead - With The Dead

17 Mgła- Exercises In Futility

18 VI - De Praestigiis Angelorum

19 Yellow Eyes - Sick With Bloom

20 Trna - Pattern Of Infinity

21 Wiegedood - De Doden Hebben Het Goed

22 Skull Incision - Vemödalen

23 Devouring Ghost - Devouring Ghost

24 Skepticism - Ordeal

25 Pyramids – A Northern Meadow


##################################

Zyk's Asylum best Ep's/MLP's/Demos (Top 15)

1 Abominor - Opus: Decay

2 Le Chant Funebre - Ghosts at the Deathbed

3 QRIXKUOR - Rehearsal 09​/​15

4 Chaos Moon - Amissum

5 Turia - Dor

6 Axis of Light -  L'appel du vide

7 Blood Folke - My Heart In The Brilliance Of Fire

8 Lubbert Das - Deluge

9 Veiled - Omniscient Veil

10 Altarage - MMXV

11 Arkheron Thodol - Oneironaut

12 Uškumgallu - Mortifying the Flesh

13 Hades Almighty - Pyre Era, Black!

14 Agos - Irkalla Transcendence

15 Abjvration - The Unquenchable Pyre


#####################################

Zyk´s Asylum Best PORTUGUESE Albuns/Demos/ep's of 2015 ( Top 15)

1 Lux Ferre - Excaecatio Lux Veritatis

2 NEVOA - The Absence of Void

3 Tod Huetet Uebel - Malícia

4 Festering - From the Grave

5 Corpus Christii - Palemoon

6 Vaee Solis - Adversarial Light (Demo)

7 Bizarra Locomotiva - Mortuário

8 Dolentia - Iniciação Eversiva

9 Onirik - Casket Dream Veneration

10 Dementia 13 - Ways of Enclosure

11 Black Cilice - Mysteries

12 Enlighten - Phosphorvs Paramovnt (Demo)

13 Carma - Carma

14 Infra - Initiation on the Ordeals of Lower Vibrations (EP)

15 Örök - Übermensch

Premonições: Spektr - The Art To Disappear

"SPEKTR is a myserious French Black Metal duo, known for their experimental and mind-altering approach to extreme music.
The band takes delight in delivering an infinitely dark, at times psychotic aura, and transmuting the Black Metal reins into a loose form. Shrouded in a veil of vocalless, industrial and ambient-infected secrecy, the duo's music stands as a metaphore for a trip into the unconfortable uknown.
credits
Releases January 29, 2016"

Premonições: Titaan- Kadingir





This is a song preview called "NIS ILIM ZAKARU" from the forthcoming album "KADINGIR".

From the deeper and most ancient past of the Mesopotamic Culture, those who live heavens and subsoils, Gods and Demons, fight one against the other to reach the Eternity, sustaining the entire balance of the Universe; spreading their ancestral message to the mankind through Lalartu, the Greatest Herald, the one who is the Spectre Essence, the Mask Carrier of Fecundity, the Traveller of the Heavens Gate Kadingir, Itinerant Spirit of the 12th Planet. Amongst the outermost loneliness, the emptiness and spiritual dismay, the ancient and secret forbidden language with the unpronounceable name, will guide you throughout an introspective and emotional journey across Occult and Ancient Connections, Esoterically and Rituals Boundings, Cosmogony and Cosmology, Universe and Earth, where the Highest and Heavenly Angers, the Strongest Energies which reign the semisphere of the Underworld, will arise through the darkest and deepest sensations of the Self and Soul, of the Everything and the Nothing.

QRIXKUOR - Rehearsal 09​/​15

"You can now listen to (and download) a digital version of our 'Rehearsal 09/15' demo tape on Bandcamp, and the copies remaining from The Fires of Samhain are now available to order at the same link. It contains one new song, our cover of Demoncy’s ‘Winter Bliss’ and a re-recording of the title track from the ‘Consecration of the Temple’ demo and limited to 50 copies of which few remain."

Vrångbild - Into the abyss in zero


Quando alguem pega no melhor que existe dentro do BM de certos lugares e lhe consegue dar aquele toque de misticismo e ambiente enquanto se vagueia por coisas tão abstratas e hipnoticas como Aluk Todolo e se atreve a remexer com algum cuidado aquele vanguardismo instrumental de certos nomes que surgiram nas ultimas decadas (Lurker of Chalice por exemplo) está-se perante um caso de assombro cosmico que gera um impacto surreal (com toques de uns Ministry por vezes) que percorre varias torrentes de negritude musical que estranhamente fazem pensar naquilo que realmente é ou tenta ser o Underground..
Basicamente deixem-se levar pelos suecos Vrangbild....

Blood Folke - My Heart In The Brilliance Of Fire


Não me quero alongar muito porque isto vai falar por si...basicamente é uma das coisas mais fantasticas que ouvi nos ultimos dias.
Viciante!!!

Premonições: Secrets Of The Moon - No More Colours (edit)


CHRCH - Unanswered Hymns


Tenho andado á volta deste album de CHRCH nas ultimas semanas e na opinião é um dos registos mais intensos deste fim de ano, mas atenção que quando falo em intensidade nada tem a ver com extremismo ou violencia pura e dura é mesmo no lado mais pessoal e introspectivo que a escuta de uma forma atenta nos proporciona, uma autentica viagem de contornos outonais e invernosos que nos deixam com os pés bem assentes no meio de uma especie de lamaçal etereo e fantasmagorico e aqui em muito contribui a agreste e angelical voz da Eva que transforma todo o arrastar sludge/doom que CHRCH nos vai oferecendo, seja em momentos que se regem pelas regras mais basicas do Sludge que fazem lembrar uns Salome como em ambientes mais proximos de uns Undersmile (se bem que aqui deixando de fora aquele lado mais vá lá mais ligeiro que a banda inglesa por vezes cria) ou de alguns nomes do Death/Doom atual.
O album é bastante longo composto por 3 faixas cada uma com duração superior a 10 minutos, mas com um impacto bastante grande, mesmo não fazendo nada de original ou novo, o registo mantem uma qualidade e frescura bem alta para quem gosta/segue este tipo de sonoridades e deixando claramente a banda numa posição bem alta dentro do atual movimento norte-americano.
Recomendado!!

"The old and oft quoted adage about “the music speaking for itself” is not a callous or casual statement when applied to the Sacramento, California based doom quintet Chrch, who have been hard at work crafting their particular brew of sound since late 2013. There is no image or campy gimmick to uphold, only the humble continuation and glorification of those fundamental musical elements that first built and then sustained the genre and it’s offshoots over the course of decades.
This purity and honesty comes across in a striking manner on the band’s debut ‘Unanswered Hymns’, a sprawling roller coaster of an album that plumbs the heights and depths of emotion, whether be it sorrow, loss, or redemption. Recorded, mixed, and mastered by Patrick Hills at Earthtone Studios in Rocklin, CA, the recording exudes a warm, organic tone that draws the listener in to music heavily influenced by traditional doom, psych rock, drone, and ambience. Chrch cannily wields dynamic songwriting, musicianship, and raw power to spin a spellbinding tale of occult darkness that clashes with illuminating melodies and riffs drenched in grimy reverb. Minimalistic, indulgent, or straightforward, the music of Chrch is simply whatever the listener wants it to be."

Uškumgallu - Mortifying the Flesh (demo)


Segunda demo para Uškumgallu, e na minha opinião bem mais interessante que a demo homónima...
Esta banda/projeto de nome bizarro junta dois musicos de Ash Borer, Triumvir Foul etc, continua a percorrer o lado mais negro do BM aqui com ligeiras (e novas) nuances atmosfericas que a espaços trazem a memoria nomes como Vorde embora continuem a fermentar o extremismo já presente no primeiro registo. São apenas 3 temas novamente, mas com a qualidade que já se espera destas criaturas!
The Stars Are Laced With Serpentine And Blood

Devouring Ghost - Devouring Ghost


Provocativo e hipnotico á boa maneira do atual USBM é aquilo que estes Devouring Ghost aqui oferecem numa limitada edição onde se explora a segunda vaga nordica de uma forma que remexe com alguns fantasmas saidos do ancestral movimento e lança os seus tenebrosos tentaculos para outras estranhas e obscuras formas musicais originando um complexo e tenebroso registo que nos engole e sufoca..
Recomendadissimo!!
"Mark McCoy’s latest solo drawing exhibition, Devouring Ghost, opened 04.17.15 at Weltkunstzimmer in Düsseldorf, Germany. To coincide with the nine drawings in the exhibition, he created a special edition soundtrack to play in the gallery. Each musical composition relates to a visual work on display, presented in an array of stripped-down black metal and ambient tracks. The album spans two LPs and was composed in collaboration with Ian Jacyszyn (Absolute Power, Suburbanite) and Ryan Martin (Dais Records, Copley Medal). Devouring Ghost deals with the transience and mutability of a technically-constructed world. Symbols of decay and mortality reflect the ambivalent and unconscious desire for death."

Mortuus Umbra - Catechism

Conheço as tuas obras, e tribulação, e pobreza (mas tu és rico), e a blasfêmia dos que se dizem judeus, e não o são, mas são a sinagoga de Satanás.
Apocalipse 2:9

Premonições: Abacination

Daquilo que ouvi talvez tenhamos aqui a proxima perola saida da Islandia...prometedor!!

Abacination traces its roots back to May of 2010 when the founding members discovered a common interest in trying to create a unique mix of black and death metal, with an emphasis on the later. What ensued was a long process of composition and work to convert this idea into a fully functioning band. By early 2011 the band was a full five piece and work was started on a DIY demo to showcase the fruits of the work done in the earliest period of this collaboration.

Demo II was released in spring 2012. Today, Abacination is slowly but surely moving deeper and deeper into the dark void that is black metal. New material is on the way.

Saturndust - Saturndust


Saturndust, são brasileiros e este album homonimo é uma daquelas perolas que caiem assim do nada...colossal album de Rock pesadão que percorre de uma ponta a outra a magia meio psicadelica de Black Sabbath, os riffs epicos a fazer lembrar algumas bandas Stoner/Doom, momentos de ocultismo sonoro que nos remetem para aquilo que Tribvlation criam nos seus albuns mais recentes e que se embrulham uma voz que parece saida da cinzenta Seattle...tudo isto com um toque espacial, curiosos?
Ouçam:

Vaiya - Remnant Light


"Vaiya's third album 'Remnant Light' is an aggressive ritual banishment of the darkest aspects of the ego. A progression upward toward the light and away from that which drags us down. Told through three thirteen minute tracks, 'Remnant Light' seeks to exalt the journey toward bliss and repel the darkness that aims to destroy true being.
This album is a more straight forward Black Metal record than the two previous Vaiya releases, which were written specifically for live ritual performance, thus, there is more emphasis put on dense atmosphere and layered instrumentation.
"The light which puts out our eyes is darkness to us. Only that day dawns to which we are awake. There is more day to dawn. The sun is but a morning star." - Henry David Thoreau"

Premonições: Grave Ritual - Morbid Throne

Formed from the ashes of Alabama bred duo Meathole Infection in 2009, Grave Ritual's sole purpose is to create dark and primitive death metal. The band's self-titled demo was released in 2009. A year later, Dark Descent Records released Grave Ritual's first full-length album, Euphoric Hymns from the Altar of Death. Since the release of their debut album, Grave Ritual has focused on perfecting their devastating live assaults, sharing the stage with such bands as Proclamation, Revenge, Black Witchery, and Inquisition. They have played Rites of Darkness II and III, as well as several appearances at Destroying Texas Fest. The band is now stationed in New Orleans. Grave Ritual's highly-anticipated second full-length album, Morbid Throne, is set for release in late 2015 on Dark Descent records.

Sonance - Mirror and Vie


This album can be played alone, or at the same time as "LIKE GHOSTS" then "BLACKFLOWER".

Premonições: Skáphe - Untitled


Preview track from the forthcoming SKÁPHE LP is now streaming.

Set to be released on in early 2016 on LP by Fallen Empire Records and CD by I, Voidhanger Records.

Knife Ritual - Old Earth


I don't know what to say about this.....listen over and over.... LOUD!!!
Psychedelic stoner/doom with slow and super heavy twists that destroy everything around, amazing vocals...damn this is so goddamn good...just like a mix of THOU and Electric Wizard.
Recomended and just fuckin' worship!!!

NEVOA - The Absence of Void


A simplicidade por vezes é a essência da arte.
Dito isto e não querendo entrar em frases muito elaboradas o primeiro album dos portuenses NEVOA é qualquer coisa de fantastico, primeiro porque não é muito normal encontrar esta qualidade ainda mais dentro de uma banda de BM portuguesa e onde se tenta muitas vezes fazer simples colagens de muita coisa para se obter algo bonitinho e limpinho ou o inverso...mas o resultado que se obtem aqui (mesmo com essas mesmo colagens) é muitissimo interessante e ao longo das cinco faixas que se ouvem neste album somos colocados numa viagem que se incia num claro rip off de Deafheaven que sejamos sinceros não anunciava nada de muito bom, mas como se costuma dizer o que conta não é como começa mas sim como acaba.
As tais colagens que falei (ou influencias se quiserem) são realmente algo que denota trabalho e criação, porque a beleza do album (talvez a maior) é mesmo na brilhante forma como os mentores do projeto conseguem de uma forma bastante interessante, assimilar, misturar e remisturar tudo de uma forma que mesmo não parecendo transforma a sonoridade de NEVOA em algo quase unico, afinal não é todos os dias que ouvimos em pouco mais de 45 minutos e no mesmo album passagens que nos fazem lembrar, Svartidaudi/Sun Worship ("Wind and Branches"), Deafheaven/Liturgy ("A Thousand Circles"), Wolves In The Throne Room, entrelaçado com Death/Doom "cosmico" (aqui com a cortesia do vocalista dos alemães Doomed) na "Below A Celestial Abyss" ou ate nos acordes acusticos á Amenra adocicados pela voz da Claudia Andrade na "Alma", a veneração total ao Cascadian BM na  faixa titulo etc...sem que isto nos soe estranho, forçado ou mal feito..é quase enervante existir tanta coisa que aparentemente pouco tem a ver entre si mas que resulta em pleno, é como se todas as peças diferentes encaixassem de forma natural e neste ponto e como disse é onde está assente uma das maiores virtudes deste registo, deixando bastante curiosidade para o que virá no futuro se o projeto tiver pernas para seguir em frente...
Um album fantastico, pleno de ambiente, e de facil escuta para qualquer seguidor do melhor que se vai fazendo dentro deste estilo ou das novas tendencias exploradas por algumas bandas de BM mais interessadas em criar musica que obter reconhecimento por outros lados.
E se o primeiro avanço já prometia isto agora ouvido e dissecado na totalidade quase me atreveria a escrever que é provavelmente um dos mais interessantes albuns de BM feitos até hoje por uma banda portuguesa...por aqui tem tido rodagem diaria obrigatoria...uma palavra final para o excelente artwork que encaixa muito bem na sonoridade que aqui se explora.
Recomendado!!!

Predatory Light / Vorde - Split lp


Novo registo que une duas das mais interessantes bandas do atual movimento americano, neste caso Predatory Light e Vorde.
Se os primeiros continuam a sua caminhada no que ao BM de contornos espinhosos diz respeito os segundos mantêm a estranha, oculta e muito propria abordagem a uma especie de Post-Black que esbarra num mural sonoro que tanto vai beber influencias ao mais extremo da musica atual como nos consegue remeter para nomes ou tendencias que pouco ou nada têm de comum com ele (conferir com atenção os sintetizadores e o som da bateria por exemplo), originando em diversas passagens um efeito estranhamente hipnotizante que nos atira para algo proximo do cadaver de uns Joy Divison....e ao falar em hipnose voltamos a Predatory Light que novamente se centram na espiral de riffs gelidos e cortantes que bem podiam estar num album de Negative Plane mas que aqui são adensados e distorcidos de uma forma não tão funebre mas que conseguem obter praticamente o mesmo resultado, embora a sonoridade seja bastante mais "livre" e acessivel quando comparada com a banda de Nova de Iorque.
Basicamente e para quem segue as bandas em questão o material mantem a mesma qualidade e não acrescenta muito ao que já foi feito por ambas embora ache que estes temas de Vorde sejam bem mais interessantes que alguns do album de estreia (os 12 minutos da "Seven Forms" valem este trabalho).
Por outras palavras isto acaba por ser mais uma prova que muito do futuro do USBM passa por estas bandas e musicos, por mais que isso desagrade a muita gente por ai...

Ancient Moon - Vvltvre


The only info that you need about this release:
"Band started as an ambient ritualistic music in the 90's in France and Switzerland near the borders. The bass player moved from Switzerland to Belgium. Guitar player still in France. The bass player in Belgium since couple of months. Session drummer in Switzerland."

Click and listen!!

Y - De Occulta Philosophia

Canon of scripture:
De Occulta Philosophia.
Books:
Rex, Regina, Coniunctio.
Chapters:
Pater, Filius, Spiritus, Macrocosmus, Mesocosmus, Microcosmus, Coniunctio
Verses: Leviathan, Belial, Belphegor, Through the Uglyfying Glass, Perseus, Sacred Language, Y.
Y | De Occulta Philosophia ( Libri III ) | Liber I: Rex | Pater | Leviathan
Y | De Occulta Philosophia ( Libri III ) | Liber I: Rex | Filius | Belial
Y | De Occulta Philosophia ( Libri III ) | Liber I: Rex | Spiritus | Belphegor
Y | De Occulta Philosophia ( Libri III ) | Liber II: Regina | Macrocosmus | Through the Uglyfying Glass
Y | De Occulta Philosophia ( Libri III ) | Liber II: Regina | Mesocosmus | Perseus
Y | De Occulta Philosophia ( Libri III ) | Liber II: Regina | Microcosmus | Sacred Language
Y | De Occulta Philosophia ( Libri III ) | Liber III: Coniunctio | Sol Terra Luna | Y

Premonições: Blaze of Perdition - Królestwo Niczyje (official video track stream)


Long awaited, new album of BLAZE of PERDITION "Near Death Revelations" will be available on the 26th of June.
"Near Death Revelations" album revolves around the past band's experiences.
BLAZE OF PERDITION's new album was mixed and mastered at Satanic Audio (Thaw, The Dead Goats). The cover artwork was created by Mentalporn (Sinister, Behemoth, Decapitated, Origin) while the layout was prepared by Kontamination Design (Demonical, Archgoat).

Tracklist:
1. Królestwo Niczyje
2. Into the Void Again
3. When Mirrors Shatter
4. Dreams Shall Flesh
5. Cold Morning Fears
6. The Tunnel
7. Of No Light

Premonições: Shrine - Spewing Gloom from the album Unortheta


Shrine, formerly known as Gone Postal. Originally formed in 2007 as a Death Metal band but later on infused Black Metal and ambiance into their sound. Shrine are now on the final stages of recording a full length album entitled UNORTHETA coming out in 2015. Stay tuned.

Le Chant Funebre - Ghosts at the Deathbed (EP)


Sem qualquer duvida um dos melhores lancamentos de 2015 dentro das sonoridades negras de uns atuais Destroy Judas, YOB e que nos trás á memoria o passado de nomes magicos como Morgion ou Mindrot..basicamente estes tres nomes chegariam para nos deixar logo curiosos e acreditem que mesmo que não conhecam nenhum, este curto ep acaba por ter um efeito viciante mesmo que este tipo de ambientes não sejam propriamente algo que sigamos de maneira mais atenta.
Le Chant Funebre, não é mais que um projeto criado por musicos de Wolvhammer, Krieg e Acheron o que desde logo (e quase por si só) já obrigatoriamente merece algum destaque, mas aqui existe um pouco mais do que o "...olha mais um nome como tantos outros".
Logo na forma como usam e abusam da dualidade obscura vs melodia e que aqui se assume como um dos pontos de maior interesse, algo que basicamente nos deixa a pensar que realmente um campo coberto de folhas secas ao anoitecer pode ser tão ou mais bonito que uma noite negra como breu..pode parecer uma comparação estranha mas quando ouvirem talvez entendam e sintam a brisa que isto emana.
Tem sido um dos ep's que mais tenho ouvido nos ultimos tempos e espero que tenha o mesmo efeito por esse lado.
Fica aqui uma das faixas:


Premonições: Predatory Light/Vorde - Split Lp

"A triumph of dark and protean North American black metal, PREDATORY LIGHT and VORDE join forces for a 38 minute excursion into the abyss that solidifies both acts' ascendancy of contemporary black metal. Following their acclaimed debut EP, PREDATORY LIGHT expands upon their first effort and offers 2 tracks of stygian black metal steeped in murk and gloom. For their side, VORDE contribute a twisting mass of acosmic ritual black metal, showcasing an original atmosphere that can only be called their own, improving upon their already stellar 2014 debut.

Released in conspiracy between PSYCHIC VIOLENCE RECORDS and FALLEN EMPIRE RECORDS, MMXV. Featuring original hallucinatory art by Todd White. All material expertly recorded throughout MMXIV by Andrew Oswald, and mastered by Dan Randall. Limited to 500 copies on 180 gram vinyl, with both black and color variants, housed in heavyweight matte jackets. All materials manufactured in the USA."

Para os interessados a Vvorl.belovV (https://www.facebook.com/vvorldbelovv) tem copias do 10'MLP de Predatory Light e irá ter tambem este split quando sair...

Premonições: Vanum - Realm of Sacrifice


DRAGGED FROM OBLIVION, AS GODS TO THE NETHER
Preview the opening track off of the debut VANUM recording at the link below. We are working in conspiracy with Profound Lore Records to bring this to light, with our LP edition to be released in early-mid August.
More information regarding this project to follow.
Taken from the album "Realm Of Sacrifice". Release date June 23, 2015.

VANUM is a new band formed by two of America’s most respected underground black metal musicians, namely K. Morgan of ASH BORER and M. Rekevics of FELL VOICES/VORDE/VILKACIS. Throughout the years, with their own respective bands (namely Ash Borer and Fell Voices), the two like-minded musicians have had a comradeship with each other by sharing split releases and touring together. With VANUM, this marks the first time both musicians have actually collaborated musically together. With the goal of creating a certain expression of dark atmospheric music with each album under the VANUM monicker, the debut VANUM album treads the ground for those familiar with Morgan and Rekevics’ respective repertoires; that of creating some of the most stirring, entrancing, and mesmerizing black metal coming out today. "Realm Of Sacrifice" ultimately features some of the strongest material each musician has ever created and will be recognized as one of the most respected black metal releases of the year

Premonições: Festering - From The Grave


Festering são portugueses e preparam-se para editar o primeiro album atraves da Caverna Abismal...e pelos dois temas de avanço a coisa promete, autentica veneração sueca com bastante qualidade.
A ter em atenção para os proximos tempos.

Sea Witch - The Blackened Sea


Depois das demos "As Above" e "So Below" chega agora o terceiro trabalho do duo canadiano Sea Witch, mais uma monumental obra de Doom cavernoso e oceanico como poucos sabem fazer.
Se desconhecem, aconselho vivamente a descobrirem aquilo que a dupla Justin e Sarah conseguem criar...temas longos com tonalidades bem negras e uma ambiencia sufocamente que dão origem a um dos tesouros mais bem guardados dentro deste estilo atualmente...
Recomendado!


Premonições: Amestigon - Thier

http://www.invisibleoranges.com/2015/04/exclusive-track-premiere-amestigons-demiurg/
Amestigon are Austrian black metal OG’s, having originally formed in 1995 (with unofficial demos going back to ’93). But you might not know it because they have only released one full length album, and that was just recently in 2009. Now they’re about to come back with a second full-length slab of complex black metal, Their, featuring Silenus of Summoning and recently Abigor on vocals. His unmistakable vocals are at their grittiest on the by turns melodic and orthodox “Demiurg,” the first song on Their.

Vaee Solis - Adversarial Light


Quando ouvimos o riff inicial que abre este "Adversarial Light" primeiro registo para Vaee Solis, ficamos, goste-se ou não de queixo caido, não que isto seja a coisa mais original do mundo porque claramente não o é, nem acho que se pretenda isso aqui, mas o poder saido das colunas dá a ideia que vamos ser surpreendidos durante a próxima meia hora...
Mas ás vezes o problema destas bandas no primeiro registo é mesmo a pouca capacidade de se libertarem das influencias mais obvias, e aqui acho que se nota bastante isso, os temas apesar de manterem o interesse criam uma sensação de monotonia que acaba por matar um pouco todo o ambiente que se gera, talvez por isso muitas bandas dentro destas sonoridades hoje em dia optem por criar temas bem longos onde se exploram as coisas de outra forma, alias das vezes que ouvi a demo nos ultimos tempos prefiro ver isto como apenas uma longa faixa ao invés de dividida, porque não sejamos hipocritas existem aqui riffs e passagens que giram e giram mas não saiem do mesmo sitio, talvez se explorassem mais a formula usada nas "♎" ou "Cosmocrat" o som ficasse a ganhar, mas aqui já se foge á sonoridade base e quase que se entra nas dissonancias de algum derivado do BM.
A sonoridade apesar de forte e assente no poder do riff/bateria cria um groove pesadão e lamacento mas a tal monotonia que falei deita a perder um pouco no resultado final, quase que se fica com a ideia que se está a ouvir uma daquelas bandas tipo The Secret ou Oathbreaker mas em slowmotion...e sinceramente quem precisa disso?
Quando tive conhecimento da banda, pensei imediatamente que teriamos aqui algo para fazer esquecer uns Ishmael (que lancaram aquele que é para mim um dos melhores albuns de Sludge/Doom com vocalizações femininas) ou noutro patamar Salome, mas neste primeiro registo apesar das algumas boas ideias, deixa um ligeiro sabor a pouco pelo menos para quem ouve este tipo de som..
Mas tambem sejamos sinceros mais vale termos novos projetos a tentarem "desbastar" sonoridades mais agrestes cá em Portugal do que coisas sem pés nem cabeça, vamos ver é se isto não se perde no futuro porque apesar de tudo deixa curiosidade em ver no que isto vai dar..e o proprio line up não é propriamente verdinho nestas andanças.
Ouçam aqui e se estiverem interessados na demo (creio que esgotou) contactem a Signal Rex.

Kolp / Leiru – Split

Um dos lançamentos que mais gostei de ouvir nas ultimas semanas é este split de Kolp e Leiru, duas bandas vindas da Hungria.
E apesar de ser um país com pouca ou nenhuma tradição dentro destas sonoridades, isto se colocarmos de lado o facto (claro) de ter vindo de lá um dos vocalistas mais marcantes do genero, aquilo que estes dois projetos com ligações a algumas bandas lá do sitio aqui mostram é na minha opinião bastante interessante.
De um lado temos Kolp uma banda marcadamente BM de tendencia obscura com uma sonoridade bastante apoiada e vincada naquilo que se tem feito nas ultimas decadas e onde se vive muito da atmosfera gerada pelos riffs e vocais criando ao longo das três faixas uma aura necro que não fica muito a dever aos grandes nomes do estilo atualmente.
Mas o grande destaque do split acaba por ser mesmo Leiru, banda que desconhecia por completo mas que deixou bastante surpreendido, a sonoridade digamos assim acaba por ser a mesma que Kolp embora aqui se sinta um claro tributo a Satyricon dos tempos do Nemesis Divina ou Shadowthrone o que embora possa parecer estranho não é propriamente algo que as bandas hoje em dia tentem recriar pelo menos com algum sucesso ou interesse e depois existem passagens mais viradas para, como direi um som mais folk de influencia nordica a fazer lembrar alguns nomes como In The Woods ou VBE não copiando mas adicionando momentos mais introspectivos aos temas..
O resultado final acaba por ser bastante agradavel se gostam deste tipo de ambientes, podem ouvir aqui e fazer o download que é gratis:


Premonições: FALSE - Untitled


At long last, we have the new album from the Minneapolis black metal project, False. After an Untitled EP in 2011, and a split LP with Barghest in 2012, they now return with their first proper full-length album, once again an untitled release.

Throughout the sixty-minute run time of the album, False dive deeper into the realm of visceral and relentless black metal for which they’ve become well-known. Their live sound and ferocity is finally captured here, revealing a whole new depth and darkness that has only been hinted at on previous recordings. This album is far from a simple exercise in listening, and more akin to a journey to be experienced. The works contained therein are incredibly bleak and emotionally powerful, with a long lasting impact.

This Untitled album was recorded, mixed, and mastered by Adam Tucker at Signaturetone Recording, with artwork by Nicole Sara Simpkins. It will be presented as a gatefold CD and gatefold 2LP, each pressed in a quantity of 1000. It will be available in stores on June 16, 2015, with direct pre-orders available Thursday, April 9th.

False are currently also booking a 30+ date tour for August & September.
credits
releases 16 June 2015

Recorded, Mixed, & Mastered by Adam Tucker at Signaturetone Recording
Album art by Nicole Sara Simpkins
Guest Vocals by Sarah Green
Special Thanks to Adam Bartlett

Premonições: Il'Ithil - Ia'Winde


Finalmente!!!
Isto é um projeto do B.G. de Wolvserpent....com selo Psychic Violence e com data de saida para este mês.
Para os interessados ou clientes vão cair copias na Vvorld.belovV...

Premonições: Genocide Shrines - Manipura Imperial Deathevokovil (Scriptures of Reversed Puraana Dharmurder)

Muito provavelmente o album de Death Metal do ano!!!!!

Behold. New GENOCIDE SHRINES warfare revealed. Tracks 4 and 5 from their first full length "Manipura Imperial Deathevokovil (Scriptures of Reversed Puraana Dharmurder)".
LP released by Vault Of Dried Bones and Iron Bonehead Productions. CD and cassette out through Vault Of Dried Bones. LP is sent to press early next week. CD and cassette to go up for sale in April.
TOTAL SUPPORT FOR TOTAL DEATH.

Premonições - Abominor - Opus: Decay


CREATED ILLVSIONS OF MADNESS!
Soon

Fuoco Fatuo - live at Castle Of Doom 2014


Uma das razões pela qual considero os italianos Fuoco Fatuo como uma das melhores bandas de Death/Doom atualmente está aqui....basta ouvirem:

Leviathan - Scar Sighted


"Leviatã é uma criatura mitológica, geralmente de proporções gigantescas, bastante comum no imaginário dos navegantes europeus da Idade Média, por essa altura foi considerado pela Igreja Católica como o demônio representante do quinto pecado, a Inveja, também sendo tratado com um dos sete príncipes infernais."
Esta é uma definições que poderão encontrar para descrever o nome Leviatã e ao escrever em cima "proporções gigantescas", "demonio", "pecado", "inveja" e "Inferno", não fiz mais que unir 5 curtas palavras que fazem uma descrição perfeitamente assustadora e correta daquilo que o projeto criado pelo Wrest é atualmente, naquilo que se tornou e originou este autentico monstro que dá pelo nome de Scar Sighted.
Muito se tem dito, escrito nos ultimos tempos relacionado com o regresso do musico norte americano e por aqui depois da autentica desilusão que foi o "..Whore", as noticias eram sempre recebidas num misto de excitação e desinteresse porque afinal a maquina propagandista do metal extremo começava a espremer tudo á volta, como que para nos preparar para o que ai viesse ou simplesmente para tentar encaixar em algo e ficar na foto.
Quem gosta de Leviathan ou pelo menos tenta seguir musicalmente sabe que o Wrest nunca foi um musico de ideias fixas ou de seguimento, apesar da besta inicial (que supostamente era), sempre deu a ideia de ser um musico bastante open minded mesmo estando no centro do movimento extremo e este aspecto sempre se traduziu na sua forma quase unica como escreve ou cria musica, basta ouvir alguns albuns no passado, os miticos LoC, aos musicos a que se foi associando nos ultimos anos ou até (e isto mais num plano de mera curiosidade) naquilo que ele supostamente mais ouve.
Tudo isto aliado á sua forma de ver escuro onde os outros vêm cor, está na genese deste absolutamente fantastico novo album e sem duvida daquilo que eu conheco dele uma autentica obra prima de proporções abismais comparavel aos classicos modernos da musica extrema.
Pode parecer um pouco exagero mas acreditem que não é, e mais dia menos dias quando o album andar ai e tiverem a oportunidade de o ouvir vão ver que tudo fará um estranho sentido nas vossas mentes como fez na minha.
Inicialmente quando começaram a surgir as primeiras noticias falou-se numa nova direção onde o Death-Metal teria destaque, pois bem não é bem assim, já que bem vistas as coisas só existem duas faixas que exploram esse universo de forma mais incisiva, curiosamente a primeira e segunda faixa ou terceira se contarmos com a Intro, mas apesar de parecer algo surreal a ideia e do estranho som de guitarra que se ouve na "Dawn Vibration" o resto do album explora muito mais que um simples estilo e vai beber inspiração a muitas mais coisas embora sempre tudo numa toada obscura, invocativa, ritualista e em determinados momentos absolutamente depressiva e sufocante e a fazer lembrar a paranoia de bandas como por exemplo uns DsO, Bal Sagoth, Dead Congregation, Silencer...isto tudo colocado num plano Leviathan como é obvio....
A produção é limpida e cristalina o que ajuda bastante principalmente quando ouvimos o album de forma mais atenta (ou com fones), desta forma consegue-se dissecar cada camada de som do esqueleto em cada tema e compreender a forma como foram criados, muitos deles dando a ideia que foram trabalhados inicialmente de forma mais sintetica como acontece por ex com a faixa titulo, alias aqui convem salientar mesmo o lado mais atmosferico/ambiental, digno de ser escutado e talvez onde o Wrest explora como nunca o fizera muitas das pontas soltas de Lurker of Chalice e onde se notam claras influencias escondidas de algum BM anti-cosmico sueco que ele tanto gosta aparentemente..
O resultado final do album é algo que não só nos mostra de uma forma bem nitida como é/funciona a mente de um dos maiores visionarios da musica extrema dos ultimos anos como nos oferece numa bandeja de ouro aquele que é muito sinceramente um dos albuns mais brilhantemente construidos desta nova Era....podemos não gostar do hype, podemos não querer partilhar com ninguem, mas uma coisa é certa alguns de nós vivem para saborear momentos destes, quanto ao resto é apenas aquilo que que se ouve no final do album:
"I wanna see in your face......I wanna see in your mind...I wanna see.....in your tears."


Misþyrming - Söngvar elds og óreiðu


Os islandeses Misþyrming, são quase um caso de estudo dentro do movimento atual, não sei ao que se deve, mas de quando em vez aparecem bandas do nada que se tornam numa sensação quase paranoica dentro da musica extrema e o mais curioso é que tanto eles como os Leviathan estão a levar tudo de arrasto e se o projeto do Wrest já não precisa de muito para isso, o caso destes rapazes islandeses a coisa muda de figura, mas será que merecem todo este burburinho á volta?
Bem sim e não.
Por um lado temos um album que realmente é bastante interessante e recheado de todos aqueles aspectos que transformaram a Islandia numa especie de nova Noruega onde as bandas/projetos que têm surgido conseguem captar e ter uma aura quase unica onde o suposto cadaver do Black Metal é colocado em modo Frankenstein dando-lhe uma nova "vida" (se é que se pode escrever isso num estilo como é o BM), mas por outro quem segue já á uns tempos aquilo que se começou a fazer por lá certamente ficará com uma certo sabor agridoce quando nos lembramos de por exemplo o album de Sinmara ou essa referencia obrigatoria na musica extrema atual que é o Flesh Cathedral de Svartidaudi.
Dito isto e se compararmos as coisas de forma direta, este é talvez o album mais normal deste trio, o mal, é que esta sonoridade tornou-se, ou está uns passos á frente daquilo que se vai fazendo por ai.
O que realmente vale a pena é a tal atmosfera com que somos envolvidos durante a escuta do album, onde ambientes morbidos e sulfuricos se sobrepoem em muitos casos aos proprios temas isto se nos direcionarmos mais para o lado mais basico (guitarra/baixo/bateria) da musica aqui criada e a união destes fatores tanto resulta em pleno como noutros fica-se com o tal sabor meio agridoce que falei em cima.
Basicamente existe um desiquilibrio no album e as coisas apesar de boas não conseguem manter plenamente a excelencia que se sente em determinadas alturas, e aqui se formos demasiado exigentes sabemos que pode ser um "defeito de primeiro album" o que é completamente compreensivel...e depois as semelhanças com Nadra são obvias, demasiado obvias, principalmente nos riffs aqui usados ou nos momentos onde se entra em modo mais extremo e por falar em riffs aquele inicio da "Ég byggði dyr í eyðimörkinni" é extremamente familiar..
Resumindo é um album bom, mas que se acaba por perder em muita coisa ou melhor a banda ainda não conseguiu forma de diluir as influencias externas de forma mais concisa e criar algo realmente que os faça sobressair como merecem porque a qualidade está lá presente...o mal é que eu ouço muito Svartidaudi, Sinmara, Carpe Noctem, Nadra, Deathspell Omega ou o ultimo de Kriegsmaschine e quando a fasquia está aqui o ser apenas bom já não basta..
Vamos ver o que isto trará no futuro.



Axis Of Light ‎– L'appel Du Vide


Esta demo de Axis of Light é algo que tenho ouvido bastante, embora me afaste por vezes deste tipo de BM, existe algo que por vezes me deixa a olhar de lado, é o que acontece quando ouço estes quatro curtos temas que compoem este registo.
Instrumentalmente é BM feito com base nas regras primordiais do estilo e algo entre uns Darkthrone e um Madrigal de Ulver, feio e sem uso ou recurso a melodias faceis nem a momentos solenes, apenas se pretende prestar atenção ao ambiente necro e odioso que se gera e principalmente aos riffs, dignos de estarem em alguns dos albuns essenciais do estilo isto na sua vertente mais Inner Circle ou LLN.
Não existe muito a escrever ou a dissecar quando se está perante algo que nos surge de frente de uma forma tão "aberrante" a não ser ouvir...apenas peca ligeramente pelo uso quase abusivo do eco que fica engordurado no som, mas até mesmo neste ponto quase inaudivel para grande parte das pessoas as coisas acabam por se transformar em algo viciante.
Ouçam aqui:

Imperial Triumphant - Abyssal Gods

Apesar do movimento americano ser atualmente o grande viveiro por excelência para fans e media dentro da musica extrema, ainda vão existindo projetos que não fazem mais do mesmo nem se limitam a ser apenas mais uns..é o caso de Imperial Triumphant.
Apesar de não serem uma banda propriamente nova ou muito conhecidos (até ver), este regresso dos nova-iorquinos (alguns membros de Pyrrhon) é equiparável a uma maquina de destruição massiva na equilibrada forma como fundem algumas das sonoridades extremas e que vão do brutal Death-Metal de uns Hate Eternal até ao Black/Death mais venenoso que se fez no passado, isto tudo envolto numa neblina dissonante mais associada a algum do BM mais religioso que ouvimos hoje em dia trazendo á memoria algum ambiente criado por uns DsO num dos seus longos eps..o que se obtem da ligação destes universos é um album com uma carga sufocante e extrema, mas desenganem-se se estão já a pensar em algo similar a Gorguts, embora aqui os pontos sejam os mesmos os resultados são totalmente diferentes e ainda mais extremos do que o que fazem os canadianos e até estão bem mais proximos de uns Portal (isto se usassem uma produção á Immolation/Ulcerate) que outra coisa, aliás falando neles existem algumas semelhanças nas vocalizações que o Ilya faz aqui e os monstros de Brisbane.
Um album bastante interessante de uma banda que na minha opinião tem tudo para se tornar num dos grandes ou melhor numa das referencias maximas do DM mais tecnico e mais obscuro (fora do necro hype) deste ano...e curiosamente uma excelente aposta da Code666.


Premonições: Vaee Solis


Nova banda portuguesa, mais uma a seguir a atual tendência Dark/Occult/Core e pela amostra inicial algo perdido pelo meio de uns Oathbreaker, Salome e Monarch...
Primeira demo para breve.

Premonições: Void Ritual

Void Ritual is the work of Daniel Jackson, known also for his work in Ancestral Oath. Void Ritual was born out of a desire to create something as ugly, hateful and callous as the world we live in.
The title of the first EP, 'Holodomor' is taken from a man-made famine which killed millions of Ukranian people in the 1930s. This is the sort of human behavior which gave Void Ritual its birth.


Au-Dessus - Au-Dessus


Preparem-se para os lituanos Au-Dessus, mas preparem-se mesmo porque esta banda vai ser um projetos mais interessantes que vão ouvir este ano.
Finalmente chega até mim o primeiro album desta jovem banda e acreditem que este album é como uma lufada de ar fresco no atual movimento, primeiro pelo secretismo inicial e depois pela forma como foram adensando o misterio sonoro á volta, já que os temas que foram saido criavam uma expectativa não muito comum para uma banda totalmente desconhecida e sem praticamente nenhuma maquina promocional atrás...
E o resultado....bem o resultado, tudo aquilo que anunciava é superado com distinção e não apenas distinção posso escrever mesmo com algum brilhantismo pelo meio.
Quando estas sonoridades começam a entrar cada vez mais numa espiral de enervamento já que tudo começa a soar como igual estes rapazes pegam no Post-Black atual e conseguem dar-lhe um toque bastante pessoal onde se exploram aqueles riffs de guitarra sulista dos ultimos albuns de uns Glorior Belli, se misturam toques de uns THAW, Secrets Of The Moon, algum BM islandes e se envolve tudo num rasto de prazer sonoro associado a bandas como Cerna (dos tempos do "Restoring Life") ou Nontinuum, já dá para terem uma ideia daquilo que se vai encontrar aqui.
Se conhecerem minimamente estes nomes só por si já podem sentir que as referencias são boas e depois é só acrescentar a tal classe da propria banda que falei em cima para originar aquele que para já é um dos melhores albuns deste inicio de ano na minha opinião.
Vocalizações fortissimas, variadas e centradas numa especie de BM moderno é algo que tambem ajuda e que acompanham sem o minimo de esforço a enorme capacidade criativa que a banda obtem quando joga todas as cartas na mesa e um bom exemplo do que falo é escutarem uma faixa como a hiptnotizante "V" que fecha o album com atenção..
Resumindo um album com uma carga quase mistica, com uma misteriosa aura que nos deixa hipnotizados e com vontade de ouvir isto não uma, não duas, nem três...nem seiscentas e sessenta e seis vezes mas transformar isto em algo puramente pessoal!!
RECOMENDADISSIMO!!!


Ramlord - S/T (ep)


Regresso tambem de Ramlord, desta vez com mais um ep onde a banda continua a prestar culto a bandas como Amebix/Neurosis dos primordios.
São duas faixas onde nos pouco mais de dez minutos a banda se apresenta numa toada que vagueia entre o primitivo crust/punk tudo envolto em cores geralmente associadas ao sentimento DIY (que tanto estas bandas gostam) e onde a saliente melodia e as aberrantes vocalizações jogam entre si criando uma musicalidade que embora seja completamente deja-vu tem os seus momentos interessantes como acontece no incio da "The Breached Sanctum" que abre o curto ep.
Se gostam deste tipo de sonoridades fica a dica para explorarem nos proximos tempos.