Premonições:Pseudogod-Deathwomb Catechesis

FINALMENTE FODA-SE!!!!

"Deathwomb Catechesis," the long awaited debut album from Russian terrorists PSEUDOGOD. Cover artwork by Antichrist Kramer, a real masterpiece soon to be revealed! Interior artwork by Alexander Brown. CD, LP, Pic LP (111 copies) on HHR with Kvlt Records releasing their own version on CD, LP & Cassette (much like the Beherit collaboration). Pseudogod crawled out from the deepest underground in 2006 and have evolved to become one the most brutal bands in Russia with their unbounded energy, insane posession and devotion. Based upon the heritage of ancient cults like BEHERIT and ARCHGOAT mixed with the madness of contemporary KATHARSIS they provide Extreme Satanic BlackDeath chaos in all it's horrible splendour. Their debut album "Deathwomb Catechesis," has an increasing amount of True Death Metal attitude that raises their bestiality unto a new level. "Pseudogod are like Archgoat on steroids" -Dagon of INQUISITION 1. Vehement Decimation 2. Malignant Spears 3. Saturnalia (The Night of the Return) 4. Azazel 5. The Antichrist Victory 6. Necromancy Of The Iron Darkness 7. Encarnacion Del Mal 8. The Triangular Phosphorescence total playing time: 40:30
http://www.hellsheadbangers.com/pseudogod/

Medicamentos


VenenuM-VenenuM, das coisas que mais gostei este ano dentro do Black/Death.

Medicamentos


Herem-II.
Gosto imenso desta banda finlandesa..Isto é o pack da FireBox digipak+shirt (que é bem gira, como podem ver).

Medicamentos




Blut Aus Nord-The Desanctification
Archgoat-Heavenly Vulva (Christ´s Last Rites)
NunFuckRitual-In Bondage To The Serpent

Medicamentos



Smohalla-Résilience, brilhante album destes franceses onde tonalidades vanguardistas se unem ao lado extremo assumindo contornos absolutamente cativantes...
My Dying Bride-The Barghest O´Whitby, excelente regresso destes senhores! (Obrigado Alex)

Premonições:KILLL


KILLL Live DVD, Track 04 from Are Mokkelbost on Vimeo.

NunFuckRitual-In Bondage to the Serpent


Confesso que este tipo de projetos ou all-star bands nunca foram, digamos algo muito expectavel ou excitante por estes lados, ainda mais quando os musicos ás vezes em vez de criarem algo com pés e cabeça acabam mais por meter os pés no meio da cabeça, mas isso é outra historia.
No caso de NunFuckRitual, tambem não esperava grande coisa se bem que havia algo meio estranho a pairar pelo meio das primeiras noticias..talvez se devesse mais á curiosidade de tentar perceber o que raio estaria a fazer o Dan Lilker ali no meio daquilo.
Explico, é que juntar-se a membros de Mayhem, Altaar e Tyrant para criar um projeto de Black-Metal de tendencias meio ritualista e ambientais, foi algo que achei meio bizarro, para não dizer mesmo wtf!!
Mas agora e ao fim de umas semanas a absorver toda esta essencia demoniaca, acho que este In Bondage to the Serpent, não é só um dos trabalhos que mais gostei de ouvir este ano, como se transformou numa especie de vicio quase diario que se apoderou de todos os meus sentidos e sobre o qual é quase impossivel não estar perto.
Convem dizer ainda que para alem dos musicos das bandas que mencionei em cima acrescentasse ainda a participação do Atilla Csihar e do Ravn numa das faixas, mais concretamente na excelente Komodo Dragon,Mother Queen, sendo que as restantes ficam entregues ao Espen de Altaar.
E aqui reside uma das particularidades deste album, já que o toque macabro que o vocalista consegue imprimir aos temas, uma mescla de feitiço e hipnose sonora é realmente soberba.
Embora seja claramente influenciado pelo ambiente vocal do Csihar, o Espen é quase uma voz de comando dentro do ritualismo sonoro em toada lenta que a banda aqui apresenta e que dá a entender realmente ou melhor oferece de uma maneira bem honesta aquilo a quem se propoem.
Não é BM furioso como talvez desse a entender devido aos musicos envolvidos ou até ao estranho nome adoptado pela banda nem se assiste aqui a bizarros andamentos sonoros numa tentativa de querer parecer algo muito vanguardista, é um excelente album de facil escuta e com uma envolvencia espectacular, por vezes até se nota uma simplicidade estranha, mas que consegue levar e elevar quem o ouve até outros estados mais transcendentes.
Vive muito do ambiente, como disse, mas talvez seja mesmo este o seu primordial objetivo.
Quanto a vocês não sei, mas para mim NunFuckRitual foi talvez a maior surpresa deste ano dentro do BM mais mainstream é que isto é daqueles albuns á antiga que convem serem ouvidos com uma vela acessa e no meio da escuridão.
Afinal a montanha não pariu um rato o rato é que engoliu a montanha...
Obrigatorio e essencial e vai estar dentro do meu top 10 deste ano...claramente!

Ritual Necromancy-Oath of the Abyss


Que album mais delicioso!!
Muita coisa se tem feito nos ultimos anos dentro do pseudo-revivalismo mais extremo e se muitas bandas se centram numa espiral de paranoia e insanidade demencial que provoca estragos mentais a quem se atreve a entrar naqueles dominios outros á que fazem exatamente a mesma coisa mas usando coordenadas ainda mais letais..
O album destes norte-americanos assume-se desde já como um dos mais complexos e extremos que vão ouvir este ano, e nem é necessario transformar os riffs em dissonancias estranhas nem usar ambientes horrorosos para dar tonalidade aquilo que criam, as coisas aqui fluem quase de maneira aberrantemente natural.
Estando gerado um cenario de loucura musical a banda tenta de uma forma ferrugenta dissecar todo o ADN que está por detrás de alguns dos mais demoniacos albuns de Death-Metal de sempre.
Começando pela afinação das guitarras, totalmente made in Sweden, uma voz que nos remete até aos tempos do Pillard dos enormes Incantation, acabando nas estranhas estruturas que muito devem a bandas como Portal ou Teitanblood e não deixando de fora aquela violencia extrema usada por uns Black Witchery e que muito devem a bandas como Blasphemy.
Desta forma este quarteto parece ter descoberto a formula magica para nos mostrar um dos albuns mais filhasdaputa do movimento extremo dentro do Death-Metal atual.
Pode parecer que serão mais uma banda a seguir a atual moda, mas sinceramente e na minha opinião acho que Ritual Necromancy acabam por ser muito mais que apenas e só isso.
Não é necessariamente um som muito fácil de assimiliar e nem se vive aqui de espasmos melodicos ou retrocessos que acabam por soar quase a deja-vu, neste album os temas fluem como um arame farpado á volta do nosso pescoço que nos deixa quase atrofiados mentalmente, já que a maneira como a musica se remexe chega a ser agoniante e olhem que a banda não precisa ou melhor não cai deliberadamente para dentro de uma catacumba para dar aquele efeito misericordioso aos nossos ouvidos.
Portanto se gostam de Death-Metal venenoso, extremo e com um toque crueldade assassina este Oath Of The Abyss acaba por ser um dos nove circulos do Inferno...aquele que se aproxima mais da Heresia.
http://www.mediafire.com/?nmcp2ke8jxoxcp2

Amenra-Aorte.Ritual-23.10 Live


Fechem-se durante os proximos 18 minutos numa sala escura.
Depois, ouçam, sintam e vejam o porquê de AmenRa ser considerada atualmente uma das melhores bandas saidas das ramificações Neurosianas...
Intenso visualmente e com um poder sismico demolidor...Senhoras e senhores apresento-vos AmenRa ao vivo:
http://www.mediafire.com/?402290fn9ec1823

Premonições: Dødsengel-Visionary


Very few albums indeed manage to capture the Luciferian essence so well, as the debut DØDSENGEL CD. Coming from Ålesund, this band unifies the spirit of Norway with the sincerity and devotion, that the birth-country of Black Metal nowadays lacks. DØDSENGEL's "Visionary" offers a cold and furious storm of pure darkness and hatred for the Demiurge and his flawed creation, built upon chaotic, yet flawless, song structures and blackest magick, that dwells within its every single note.
The band went on to release several more albums and EPs since then, but the first album still stands aside for me. It might lack the producing quality of the releases, that followed, but the amount of raw energy it houses is simply outstanding. The moment I first put the original CD edition of "Visionary" into my audio system I felt the incredible darkness and the potential it has within. The torrent of energy it unleashed simply blew me away! That's why we are so proud to announce, that Daemon Worship Productions was selected to give a proper CD release to this masterpiece! With enhanced sound and the full version of "Void",previously only available on the LP version, as well as the coverart by Naas Alcameth of the NIGHTBRINGER fame, "Visionary" is truly a jewel of the Blackest Art!

DØDSENGEL is the elevated man, who sought power in the Void.

The CD shall be unleashed during the second decade of November 2011!

Dodsengel - Void by Daemon Worship

Medicamentos

Dominus Xul-To The Glory Of The Ancient Ones, banda chilena de Death-Metal este album é bastante bom, aconselho.

Occvlta-We Command The Wolves


Ora se os novos Darkthrone soassem assim?...
Isto foi a primeira coisa que me veio a mente depois de ouvir a demo dos alemães Occvlta "We Command The Wolves", é que este material ao contrario daquilo que a banda do Fenriz anda a fazer agora parece-me muito mais consistente e bem mais interessante.
Uma aberrante mistura de Punk,Crust e BM com um cheiro a alcool que fica entranhado nas colunas ao longo destas seis faixas..
Criatividade é quase nula mas a atitude totalmente FOAD adensa as coisas o que torna estes Occvlta numa das mais interessantes bandas atualmente dentro deste pseudo retrocesso ao jurassico da musica extrema.
Fica no ouvido, dá vontade de levantar o som e mamar uns shots de whiskey enquanto se levantam os punhos a uma qualquer entidade saida dos antros mais profundos do Inferno.
Não existe muito mais a escrever, senão mesmo ouçam esta merda e vão-se foder!!
http://www.megaupload.com/?d=4Z4UPAVG

Premonições:Esoteric Part II

Paragon of Dissonance.


Soon...

Medicamentos








Triptykon-Eparistera Daimones, já tinha a edição normal, mas esta Deluxe Edition Mediabook é bem mais giro..
Anaal Nathrakh-The Codex Necro, já tinha a edição da Earache com os temas extra, esta é a da Mercenary Musik, sem duvida um dos meus albuns preferidos de Metal Extremo de sempre.
Napalm Death-Harmony Corruption, primeira edição, mais um daqueles que acabei por me desfazer com o tempo, mas que agora voltou..
Morbid Angel-Abominations of Desolation, primeira edição, foi-se aqui á tempos numa troca mas voltou novamente, alias tinha mesmo que voltar..
Anaal Nathrakh-Hell Is Empty And All The Devils Are Here
Bloodbath-Nightmares Made Flesh
Behemoth-The Apostasy

Heresiarch-Hammer of Intransigence


Se ouviram a demo lançada por Heresiarch este ano naturalmente terão sentido um pouco na pele o porquê de atualmente as bandas vindas da Oceania conseguirem ou terem um estranho dom para interligarem aquilo que foi o passado mais monstruoso e o futuro tambem nada agradavel daquilo a que vulgarmente chamamos de Death-Metal no mais visceral sentido do termo..
Estando na sua formação alguns membros dos não menos soberbos Diocletian acaba por ser natural algumas semelhanças entre as bandas, mas aqui Heresiarch assume-se desde logo como uma maquina de destruição mais letal na minha opinião, talvez se deva a propria produção que aqui não sobre daqueles espasmos mais crus ao jeito de Blasphemy e som apesar de extremo e violento consegue soar limpido como um rio de sangue a escorrer depois de uma embuscada num qualquer cenario mais apocalitico acabando o som por se assemelhar a uma orgasmica sensação de misantropia guerreira totalmente contemplativa...
O sentimento existente é de odio profundo e destruição total e a forma como a banda consegue conjugar estes elementos e transforma-los em descargas ou melhor hinos totalmente desprovidos de qualquer sentido mais humanista como acontece numa "Conflagration" não só é brilhante como torna este ep numa daquelas perigosas peças para se ouvir com algum cuidado, não vá isto ser responsavel por alguns momentos mais estranhos entre nós e quem está á nossa volta quando saimos a rua..
Verdade ou não isto é peganhento a nivel mental e puxa bastante pelo nosso lado mais animalesco e para uma banda com todos estes deliciosos pormenores que se pode pedir mais?
Não muita coisa, apenas meter isto a rodar uma, duas, três ou seiscentas e sessenta e seis vezes que o resultado acaba por sempre o mesmo..Destruição,Morte,Odio,Intolerancia,Caos enfim tudo aquilo que o outro dizia..."Only Death Is Real" e isto aqui é apenas mais uma prova que ela continua a ter muitas estranhas manifestações perante nós...
Obrigatorio!!!
http://depositfiles.com/files/j1smwf6m6

Fleshpress-Acid Mouth Strangulation


O novo de Fleshpress era um dos trabalhos que mais ansiava neste fim de ano, não só porque gosto imenso da banda, mas porque tinha uma estranha premonição que este album iria ser um dos mais profundos e de certa maneira angustiantes que iria ouvir...
Assim sendo talvez seja necessario um estomago forte para assimiliar o que a banda finlandesa aqui mostra, senão vejamos a autentica tempestadde que acontece logo apos os primeiros 6 minutos da faixa inicial Glass Trails...
È estranho e algo diferente daquilo que fizeram até hoje, embora se compreenda que os eps do ano transato vieram dar uma especie de novo alento á sonoridade apocalitica que a banda sempre fez, mas nem eu nem os demais fans esperariam que Fleshpress violasse o seu som e transformando-o numa especie de Black-Core matematico bastante influenciado por bandas como Converge, Khanate (este sempre foram uma influencia bem vistas as coisas) ou porque não dize-lo o Paracletus , embora com as devidas distancias é claro.
Mas é mesmo isso que acontece ao longo das 3 faixas, o lado sujo e ambiental que sempre exploraram continua a marcar territorio, e ainda existem aqueles riffs monoliticos e destrutivos, principalmente na Copper Eye, mas a nova abordagem feita nas vocalizações acaba por ser meio bizarra, não que o material seja banal, sejamos sinceros não é, mas a banda agora em vez de optar pelo tal lado mais profundo, dá a ideia que se deixou elevar um pouco mais ou dito de outra forma parece que explodiu para ela mesmo, arrastando consigo diversas influencias que talvez até estivessem muito mais encobertas..
A medida que se vão ouvindo os temas muita coisa surge pela cabeça e causa estranheza mas a banda mesmo assim consegue manter o contacto direto olhos nos olhos com o ouvinte seja quando aplicam uma especie de Drone/Sludge ou quando se entretem a mostrar que tambem conseguem desenvolver a espaços aquele desolador (vou usar o termo) Dark-Core mais de efeito introspectivo que que nos baralha completamente.
A meu ver isto não consegue resultar a 100% embora se note que a banda sabe o que está a explorar e a fazer, mas o resultado final soa assim pouco mais que satisfatorio, e encontro aqui quase um paralelo em termos de mudanças de som com o ultimo ep de Aldebaran..
Não sei se este será ao não o caminho a seguir mas gostaria que a banda voltasse ao obscurantismo que já usou em material mais antigo, e que a meu ver encaixa bem melhor do que algumas das texturas exploradas neste Acid Mouth Strangulation...
Senão acreditam cliquem e ouçam o que isto oferece agora...

N.I.L.-Neglect.Forget.Remember


Nihilism Is Liberation ou simplesmente N.I.L. são um projeto quase de culto do USBM já que contem na sua formação um tal de Imperial, mais conhecido pelas suas andanças por Krieg, Twilight ou dos excelentes March Into The Sea já aqui falamos á uns longos tempos atrás, mas ao contrario do que se possa pensar esta banda não segue propriamente o emaranhado sonoro que percorre o movimento atual, limitam-se a oferecer BM gelido e cortante com ligeiros laivos que entram levemente por territorios proximos do rotulo Pagan BM, dissecando o som e atrasando todos os seus movimentos..
Dividido em 3 partes este novo ep é algo que me agradou bastante, isto depois do interessante e de certa forma já datado album homonimo de 2007 que na altura ombreou com algum material de nomes como Nacthmystium, Leviathan ou Twilight, bandas que nesses tempos ainda não tinham atingido o patamar dos dias de hoje mas que já se afirmavam e estavam na linha da frente daquilo que de mais interessante o USBM tinha para oferecer..
Mesmo sendo NIL uma banda com o mesmo line-up de March Into The Sea já que o J.Marcheski é a outra parte desta equação sonora, o duo consegue criar ou melhor virar os ambientes mais Doomicos explorados nessa banda e aqui adensa-los de uma forma mais crua e virada para ambientes quase pre-historios do BM.
A simplicidade sonora ganha bastante na forma como se vão aplicando ao longo dos 20 minutos diversos sons que vão assombrando as faixas sejam eles na forma de riffs muito proximos de um lado mais melodico e explorado já no passado por algumas bandas como Hades, Drudkh ou até mesmo uns Abigor dos tempos mais florestais, quer no proprio ambiente que o ep consegue transmitir, BM daquele que consegue emanar um estranho feitiço á medida que se vão percorrendo as faixas..
Confesso que fui ouvir este novo ep sem o minimo de expectativas, ainda mais nestes dias que o novo de Leviathan já ai anda, mas tambem tenho que confessar que depois da primeira escuta tudo mudou e tenho andado meio pregado a este ep..
O carisma ou a falta dele que se sente no meio deste niilismo sonoro acaba por ser um dos mais absorventes factores para nos entranharmos pelo meio destes devaneios sonoros e perguntar-mos a nós mesmos porque raio estes gajos estiveram quatro anos sem lançar material...fazem falta bandas assim.
Recomendado.
http://www.mediafire.com/?e4b5k1id54ri982

Medicamentos



High Priest of Saturn-High Priest of Saturn, demo cd 2011.
Satyricon-The Age of Nero, digipak edição dupla limitada.

Premonições:Trash Amigos


TRASH AMIGOS
- The Story of the riders of the storm -
In the beginning of 2009 Pedro Pico a.k.a Mr.Dim (ex-Harms Way, Born Of Fire) had a desire to make some good old 80´s thrash-metal in veins of Metallica,Slayer,Sepultura,Kreator, Exodus etc.
This was the music he loved and played as a teenager. He decided to form a band with his best cavalleros Pedro El Guero a.k.a Erik Wallin (ex.Merciless, Death Breath, Nirvana 2002, Harms Way) guitar and Pedro Serdito a.k.a Stipen from Dia Psalma (ex.Merciless, Harms Way,Transport League) drums. This Project was ment as a TRIBUTE to the bands mentioned above.
The band TRES AMIGOS is born.

The concept of having Mexican image besides the band name (which came up out of the blue during rehearsals) is because the band wants to do something different. TRES AMIGOS wanted to look cool in their own way. Ponchos, fat sombreros, boots, chaps and dirty make up and good old Thrash Metal, what can go wrong?
The band wants to make it clear that the image is NOT intented to be disrespectful to Mexican people or culture.
The idea is not to do something musically revolutionary but something people can swing their sombreros to while downing tequila. In september 2009 they entered the studio of senior Enrico Inferno to capture the raw energy of 4 songs on tape.
On the first gig in a foreign land in the cold north, TRES AMIGOS brought with them a loco called Pedro Tacón a.k.a Marcus Klack ( Early member of the legendary Swedish band MORBID) to handle some guitarra on stage.

It was love at first zip of the tequila!!!!!
The band was amazed by his skills and decided that from then and on change name, with Pedro Tacón onboard Tres Amigos became the TRASH AMIGOS!!!
Once again, In March 2011 the four stinking horsemen, steered their burros to the town of Stringnose to record their first full-length album with senior Enrico....The album will be released by War Anthem records on November 11th 2011!!
Coverartwork by Erik Danielsson(Watain)
Mastered by: Peter in De Betou
TRASH AMIGOS...The complete destruction of rock´n roll!
Soon in a saloon near you...
Members:
Pedro Pico: Bajo, voz and flamenco guitarra
Pedro El Guero: Guitarra
Pedro Serdito: Baterria
Pedro Tacón: Guitarra
https://m.facebook.com/trashamigos
TRASH AMIGOS(swe) "Mind Castration" taken from "Hijos de la Chingada"(Out November 11th 2011) by WAR-ANTHEM RECORDS

Raw Moon-Demo I


Tipo, não tenho falado muito ultimamente de BM, primeiro porque sinceramente não tenho ouvido nada de muito interessante e segundo existem outras coisas que guardo para mim..
Mas estes vou colocar aqui.
Chama-se Raw Moon e são uma banda norte-americana, mas ao contrario daquilo que possam já estar a pensar não se trata de uma daquelas coisas todas engraçadas saidas da estranha enxurrada atual do USBM mais moderno, aquilo que vão ouvir aqui é BM saido diretamente das profundezas do Inferno que desagua como lava incandescente em cima de nós secando-nos as veias...
Apesar da patetice poetica da frase, isto é crú daquele mesmo fodido e estando ou não na presença de um projeto desconhecido posso pecar por dizer algo errado, mas as influencias que por ali se ouvem denotam que os dois membros por detras de Raw Moon se divertiram a fazer o trabalhinho de casa..
Seguem talvez o mesmo sentido de uns Barghest, isto falando de coisas recentes vindas daqueles lados a diferença aqui é que o som é mais inyourface e mais, não direi criativo que os outros, mas os temas ou melhor o unico tema presente nesta demo é realmente uma coisa bem fofa para se meter a ouvir e re-ouvir durante uns bons pares de horas..
Se estiverem interessados follow the link and bury yourself into this shit...
http://www.mediafire.com/?u3246gsb06xiw1y

Abaton-Hecate


Abaton são uma banda italiana nascida em 2010 com o simples proposito de criar uma sonoridade que caminhasse pelos antros mais obscuros e monstruosos do Sludge/Doom sem no entanto deixar de fora uma estranha atração pelo lado Black mais soft ou de algumas bandas norte americanas dentro daquilo que se chama atualmente de BlacknedSludge Metal.
Como já deu para entender a banda assimila varias influencias a nivel sonoro, remexendo-as para lados que deambulam por entre varios estilos originando um som pleno de carisma sobretudo bastante explosivo.
Não se trata de um daqueles albuns que se limitam a tentar explorar uma suposta imagem ligada com o ocultismo, embora exista de facto um pouco essa realidade, tanto no artwork como nas proprias letras dos temas, mas não se definem dessa maneira que talvez possa soar cliché para não dizer basica, aqui Abaton consegue demarcar-se ligeiramente daquilo que se faz por esses territorios atualmente.
O proprio contraste existente entre a lentidão Doomica e a vertente mais violenta assume-se desde logo como um dos pilares mais consistentes do album.
Não precisam de entrar de cabeça no (cada vez mais explorado) exemplo do som meio dissonante para transformar os temas em algo diferente, usam-no um pouco está certo, mas de uma maneira não tão gelida ou maquinal como se poderia esperar, alias o som acaba por ser bastante analogico e com bastante groove, a "Metamorphosis" é um bom exemplo disso, enquanto o lado mais sensivel e abstrato de uma "Too Close.." faz o restante contra-balanço com o resto..
Ao optarem por esta corrente e da forma como consegue encaminha-la em direção ao tal movimento que falei no inicio do texto transformam as coisas e adensam a negritude da sonoridade, conseguindo fazer um interessante jogo de agonia vs sufoco vs desespero sonoro que nos deixa completamente colados aquilo que se ouve.
O album não é tambem uma daquelas obras longas que exploram em demasia uma especie de masturbação vanguardista (por vezes sem sentido), é simples curto e vai direto ao assunto sem rodeios.
Em suma um album que gostei bastante mesmo e que se encaixa naquilo que de melhor se vai fazendo no atual movimento extremo, já para não mencionar na forma brilhante como se une cada peça deste estranho puzzle..
Obrigatorio!
http://abaton.bigcartel.com/

Medicamentos



Chegaram hoje a casa:
Blaze of Perdition-The Hierophant
Blaze of Perdition-The Burning Will of Expansion