Medicamentos





Bem e pelo meio de mais coisas...
Merciless-The Awakening, sim é a primeira edição da DSP.
Arkhon Infaustus-Perdition Insanabilis, digipak limitado
The Flight of Sleipnir-Lore, digipak limitado a 333
Obituary-Slowly We Rot, edição remasterizada com duas faixas bonus
ABSU-Barathrum:V.I.T.R.I.O.L., este comprei porque o peso do tempo na minha edição já estava a fazer efeito...classico!

Vomitor - Devils Poison


Bem agora vamos voltar ao primordios do Black|Thrash, a cena brasileira, a Von e afins...
Segundo album para Vomitor, banda australiana, sim mais uma para que não restem duvidas do autentico fervilhar extremo que a ilha dos cangurus nos tem proporcionado nos ultimos anos..há de tudo desde Vomitor a Portal, e no meio destes existem excelentes propostas basta procura-las.
Foi album do mês na ultima Terrorizer e esta banda como disse não é mais que uma especie de flashback extremo aos primordios do estilo.
Hipnotico, malefico, alcoolico, deliciosamente mal tocado, basico e verdadeiramente filha da puta é aquilo que me vem mais a memoria quando ouço esta especie de side-project de alguns musicos de Gospel of Horns.
Quando muitas bandas fazem tentativas quase idiotas de captar aquela aura necro antiga deviam antes por os olhos e os ouvidos nestes Vomitor ou nos filipinos Deiphago para ver se aprendem alguma coisa!
Isto é NecroRoll sem merdisses ou floreados....e não é para todos, mas que é realmente um album fodido lá isso é!
http://www.megaupload.com/?d=C22P6SFQ

Void of Silence - The Grave Of Civilization


Quem por ai conhece Void of Silence?
Provavelmente poucos a não ser que sejam fans de Primordial, já que o Alan Nemtheanga fez parte desta banda italiana durante alguns anos e esteve na base da concepção do ainda hoje fantastico "Human Antithesis", um dos pilares mais consistentes do post-doom europeu mostrados nos ultimos anos.
Chegamos a 10 e VoS liderados pelo Ivan Zara e Riccardo Conforti resolve voltar á carga e mostrar que a banda mesmo com a saida do carismatico Alan está ai para as curvas e a julgar pelo monstruoso Post-Doom que aqui desenvolve continua a trilhar no bom caminho.
O posto de vocalista (o terceiro depois do Malfeitor de Aborym e do já mencionado Alan), é agora ocupado pelo Brooke Johnson de The Axis of Perdition.
O homem ocupa o lugar de uma forma realmente bem competente continuando com o sentido vocal bastante epico, iniciado pelo senhor irlandes, embora aqui se perceba bem que VoS se entretem mais a explorar outros caminhos mais envolventes, mais misticos e mais viajantes sendo que estes acabam por ser ligeiramente diferentes do ambiente de um "Human Antithesis"(por exemplo), mas sem com isto sair mal da pintura.
Comparações assim mais diretas arrisco a dizer que este album é aquilo que se poderia esperar de uns A Storm of Light se o Josh não tivesse aquelas limitações vocais que todos conhecemos.
Exemplar trabalho de teclas que dá um brutal sentido epico ás musicas,o fumarento neuro-doom apocaliptico saido das linhas de guitarra, uma batida que mais parece o pulsar de uma onda de choque em slow motion é aquilo que esta banda nos oferece, e depois á ainda o espetacular enquadramento vocal do Brooke na musica que encaixa de uma forma brilhante no emaranhado catastrofico que aqui se presencia.
Tudo isto se une e conjuga num delicioso album de proporções epicas, que nos deixa completamente estagnados a absorver toda esta complexa furia mental e visual que a banda nos proporciona.
É como se estivessemos perante o fim de algo...fim esse cavalgante nas ondas de um enorme tsunami e ventos ciclonicos...
Em poucas palavras mais um dos albuns do ano e se não conhecem convido-vos a experimentarem aquilo que esta dupla criou agora e já agora apanhem tambem o anterior.
Brilhante e se isto é para ser encarado como a resposta europeia a ASOL, bem o Josh é companhia vão ter de se esmerar muito, mas mesmo muito no proximo registo.
Recomendado!
http://rghost.net/1731874
Fica aqui a Temple of Stagnation...

Premonições:Nuklear Goat


Nuklear Goat são das poucas bandas (na minha opinião) que atualmente vale a pena escutar dentro BM made in Portugal.
Black-Thrash n´roll criado na onda de Aura-Noir e Nifelheim, principalmente, ou DarkThrone,Decayed e afins, vocalizado em inglês e português, escutem a muito boa "Passagem Para o Inferno".
Os temas são autenticas cavalgadas metalicas (fodidas) a ceifar tudo á volta, sendo que os temas não caiem na tentação parva atual do estilo.
Apenas um aspeto menos "bom" na minha opinião, este material instrumental merecia um vocalista ainda mais possuido daquilo que está...
Mas para primeira amostra estes 4 temas destroiem.
Podem escutar aqui alguns temas que farão parte do primeiro registo da banda, sairá em conjunto com Decayed daqui á uns tempos:
http://soundcloud.com/nuklear-goat/sets/newsongs

Medicamentos




Amestigon-Sun of All Suns
Burzum-Belus
Lord Mantis-Spawning The Nephilim

Isis terminam!


Chega ao final uma das mais interessantes bandas dos ultimos anos:

"Good Night!
ISIS has reached an end. It's hard to try to say it in any delicate way, and it is a truth that is best spoken plainly. This end isn't something that occurred over night and it hasn't been brought about by a single cataclysmic fracture in the band. Simply put, ISIS has done everything we wanted to do, said everything we wanted to say. In the interest of preserving the love we have of this band, for each other, for the music made and for all the people who have continually supported us, it is time to bring it to a close. We've seen too many bands push past the point of a dignified death and we all promised one another early on in the life of the band that we would do our best to ensure ISIS would never fall victim to that syndrome. We've had a much longer run than we ever expected we would and accomplished a great deal more than we ever imagined possible. We never set any specific goals when the band was founded other than to make the music we wanted to hear and to play (and to stay true to that ideal), so everything else that has come along the long and winding path has been an absolute gift. As with any momentous life-changing decision (which this certainly is for the 5 of us), we feel a very dynamic range of emotions about this and cannot express all of it within the space of a few sentences, and perhaps it's best to do what we've always done in and let our music speak for us. It is and has been the truest expression of who we are as a collective and in some ways who we are as individuals for the 13 years in which we've been together. The last and perhaps most important thing we might say in relation to all this is how grateful we are for the people that have supported us over the years. It is a lengthy list that would include those who put out our records, those that played on them and put them to tape, the many bands with whom we shared the stage, all of our family, friends and companions who supported us in our individual lives and thus made it possible for us to continue on in the band, and most importantly those who truly listened to our music whether in recorded form or by coming to out to our shows (or both). It is quite true that we would never have done what we have without those people, that is many of you who are reading this. Our words can never fully express what we feel, but we hope that our music and the efforts made to bring it into being can serve as a more proper expression of gratitude for this life and for everyone in it. Thank you.

In more immediate and practical terms the tour we are about to embark upon is indeed our last. We are hoping that these final live rituals can help us bring a close to the life of this band in a celebratory and reverent way, and also provide us with a chance to say goodbye to many of those that have supported us over the years. While there is a measure of sadness that comes with the passing of this band, we hope that the final days can be joyous ones during which any and all that wish to come and join us will do so. It seems fitting that the last show of the tour and of our active existence will take place in Montreal, the site of the very first ISIS show in 1997 (though that was an unintentional move when booking the show initially). After the tour we also plan to follow through with other projects set in motion some time ago - pursuing the completion of a final EP, compiling live audio and visual material for future releases, and generally doing whatever we can to make our music available for as long as there are people who wish to hear it.

Thanks again to any and all,

ISIS, May 18, 2010
"

Fica o legado e a influencia destes senhores.
Obrigado por criarem musicas assim!

Seidr-Blood in the Soil


Os Seidr são uma banda criada pelo A.Lundr (Austin Lunn) dos excelentes Panopticon e que tinha passado meio ao lado, pelo menos até agora, mas parece-me que não os vou deixar de ter debaixo de olho.
Eu sinceramente cada vez gosto mais desta nova de musica extrema vinda dos USA, nomes como Brown Jenkins,Wolves In The Throne Room,Blood of The Black Owl ou os mencionados Panopticon fazem parte da minha atual lista de bandas preferidas e estes Seidr estão bem encaminhados para lá entrarem tambem.
Mas que afinal temos aqui?
Bem aquilo que o A. aqui cria é bem diferente dos ambientes "anarcoBM" de Panopticon e a banda define-se como Doom Ritual, e a meu ver esta definição encaixa como uma luva na sonoridade da banda.
Basicamente Seird (nome retirado do paganismo pré-cristão nordico) não faz mais que misturar a maldita trilogia inglesa do inicio dos 90 (Paradise Lost,Anathema, My Dying Bride) e adapta-la com nomes mais recentes que vão de Esoteric, Skepticism, Asunder ou até mesmo a Neurosis isto nos seus momentos mais densos e negros.
Tudo isto é criado numa toada selvagem, com uma cobertura de musgo por cima bem ao jeito de alguns nomes do BM americano actual.
De certa maneira ritualista, tantrico mas sem com isto perder peso, poder ou carisma estes Seidr são realmente especiais e este trabalho é algo mesmo espantoso, consegue-nos fazer viajar e sentir a musica por eles criada de uma forma estranhamente intensa, mas deliciosamente relaxante e introspectiva como eu gosto.
Se gostaram de ler estas palavras partam á descoberta e sintam-se num limbo de musica maldita mas lindissima, feita por seres que realmente sabem o que fazem...
Senhoras e senhoras apresento-vos Seidr, talvez a melhor banda de Death-Doom que irão ouvir nos proximos tempos.
http://www.megaupload.com/?d=7OOI1D2W

Demonic Death Judge-Kneel


Demonic Death Judge são uma banda finlandesa que embora recente se assume aqui já como uma das propostas mais interessantes dentro deste estilo.
Embora vindos desse antro de depressão musical chamado Finlandia a sonoridade destes quatro rapazes nada tem a ver com aqueles nomes mais miticos do Doom do lado mais funerario e se aproximem mais do lado mais tradicional da coisa, se é que isto se poderá escrever.
Aquilo que aqui mostram é uma mescla de sonoridades que tanto têm de Stoner podre como de Sludge fodido.
Rifalhada potente,fumarenta e sexy com um ligeiro toque de misticismo setentista misturado na musica onde alguns samples ao longo dos temas dão mais intensidade aos mesmos, dando origem a que a escuta se torne numa experiência bastante agradavel e viciante para quem gosta deste tipo de som.
Tentando entrar em registos mais similares isto quase parece uma mistura de Kyuus,Reverend Bizarre,Naam e Eletric Wizard liderados por um vocalista possuido pelo espirito de uns Sourvein e bandas similares, como podem ver são boas referencias.
Boa onda mesmo, musicas muito bem feitas e com uma criatividade acima da media esta banda vinda da cidade de Kymenlaakso consegue mesmo realmente surpreender, ainda mais tratando-se deste trabalho o seu segundo registo em nome proprio e mesmo estando editado numa edição de autor, existem aqui belos momentos que precisam de ser espalhados pelos quatro ventos, porque esta brisa é realmente refrescante e ao mesmo tempo bem quentinha.
Sem qualquer duvida uma banda a ter em atenção nos proximos tempos...really heavy shit!!!
http://www.myspace.com/demonicdeathjudge

http://www.mediafire.com/?jwyv5ku1w4y

Premonições:Lord Mantis


São uma banda com ligações aos Nachtmystium e está a preparar o segundo album depois do excelente Spawning the Nephilim, mais uma vez com o cunho artistico do Sanford Parker de Minsk e Twilight.
Quem teve oportunidade de ouvir o anterior album (obrigado Pedro/Herak), sabe daquilo que a banda é capaz e pela primeira amostra do myspace a coisa parece prometer, nem que seja para colmatar o cada vez mais evidente afastamento da banda do Blake dentro do estilo...
Estranhamente a banda encontra-se á procura de uma editora que se proponha a editar o album...já agora um pequeno desabafo, numa altura em que as editoras assinam com qualquer banda de esquina, este é mais um estranho caso dentro da industria musical.
Mas enfim, resta-nos continuar a levar com muita porcaria vendida e oferecida em caixinhas de veludo..
Fica aqui o myspace para ouvirem e conhecerem um pouco destes Lord Mantis:
http://www.myspace.com/lordmantis

Nyseius-Militiae


Os franceses Nyseius são mais uma boa banda a acrescentar a atual epistola ortodoxa.
De leitura facil aquilo que a banda liderada pelo Daeloth faz é nada mais que acrescentar mais uns versículos para dentro do livro negro.
Atualmente as bandas dentro deste universo dividem-se em novos e velhos testamentos acabando por se perderem muitas delas em devaneios despromovidos de alma e que tanto caiem para o lado esquerdo como para o lado direito, mas aqui isso parece não acontecer.
Musicalmente o projeto vai de encontro aquele BM extremo, bem tocado, estruturado e carregado de sentimentos negativos.
Se por um lado não se arrisca muito, tambem não se compromete, nem se cai no facil de pincelar a musica com cantigos liturgicos (como muitas vezes acontece por ai) para disfarçar (em alguns casos) a propria incompetência das bandas.
Soando por vezes na linha de DsO antigo e entrando diversas vezes em territorios mais proprios de uns Ondskapt ou Watain, Nyseius criam aqui um trabalho com uma força consciente para agradar a qualquer fã destas bandas mas sem com isto deixar de louvar o passado do genero já que algumas linhas aqui presentes lembram bastante por exemplo bandas como Emperor (principalmente quando a banda entra num registo mais Extreme-Metal) ou Dissection estes mais pelo lado Metal of Death da coisa.
Destaco principalmente duas faixas a Lueur d'une Lune Morte e a Endless March que são realmente muito interessantes, então esta ultimo é mesmo muito boa...
Pouco mais a acrescentar, se querem ouvir bom BM tem aqui um bom remedio para os proximos dias e uma banda que poderá ter ainda mais algo a dizer no futuro!
http://www.mediafire.com/?uymnby1d2xd

Panic Room- Abigor


Abigor, o demonio austriaco tambem tem o seu espaço no Asilo.
Abigor-Verwüstung/Invoke the Dark Age, Napalm Records
Abigor-Nachthymnen (From the Twilight Kingdom), Napalm Records
Abigor-Opus IV, Napalm Records
Abigor-Verwüstung e Opus IV, DCD Napalm Records
Abigor-Apokalypse, Napalm Records
Abigor-Supreme Immortal Art, Napalm Records
Abigor-Channeling the Quintessence of Satan, Napalm Records
Abigor-In Memory, Napalm Records
Abigor-Satanized (A Journey Through Cosmic Infinity), Napalm Records
Abigor-Fractal Possession, End All Life Productions
Abigor-Time Is the Sulphur in the Veins of the Saint... ,Digipak End All Life Productions

Bem e umas curtas notas.
Falta ai o Orkblut que não sei onde o meti, alguns albuns como o Nachthymnen são autenticos classicos, o Opus IV tenho o original e a reedição de 2004, sobre este o que tenho a dizer é que é um dos trabalhos mais demoniacos alguma vez criados dentro do BM extremo, mas não gosto do som original.
A reedição de 04 feita pelo PK demonstrou que aquela porra é realmente especial ouçam e comparem...ganhou esplendor e dos poucos casos em que as reedições ficam melhores que os originais.
O Verwüstung é talvez a melhor coisa feita até hoje de BM de contornos florestomediavais..
O Supreme é uma daquelas coisas que quando ouvidas com espirito certo nos transportam para o meio de um qualquer ritual estranho e é o album mais Summoning deles na minha opinião..
O Channeling é naquela nem aquece nem arrefe, mas adoro o filha da puta do primeiro tema!
Os eps são muito bons tanto o Apocalypse como In Memory (aquela cover de Kreator é bruta)...
O Satanized é um dos piores albuns de BM jamais feitos, sim Abigor é capaz do magnifico e do...bem vocês entendem onde quero chegar...
Da nova fase o Fractal foi uma facada mortal na porcaria do Satanized e o novo mcd, bem o novo mcd é "a cruel delightful scenario".

Medicamentos



THOU-"Peasant", finalmente a edição do segundo album em vinil da Level Plane...já podem aparecer as reedições...porque a original já cá canta.
THOU-"Baton Rouge, You Have Much To Answer For", tape limitada a 200 copias...

Thou-Baton Rouge, You Have Much To Answer For


Mais um...está a ser dificil acompanhar estes rapazes e depois ainda se lembram de lançar edições limitadas que só me fodem o juizo para as conseguir.
Antes do novo album "Summit" a editar este ano como já aqui escrevi e de mais uns não sei quantos eps dos quais destaco a novidade Dwell in the Darkness of Thought and Drink the Poison of Life que contem uma das melhores faixas por eles criadas, falo da "The Eyes of the World Are Upon You" (e que podem sacar clicando no link), deixo aqui mais um titulo destes rapazes.
Este "Baton Rouge, You Have Much To Answer For" trata-se de mais uma edição á THOU, editada em tape e 7´(quase só para fans) e que continua a mostrar o porquê de serem actualmente a melhor banda de Sludge que por ai anda, digam o que disserem.
Já aqui tinha colocado três estas faixas num dos links anteriores, mas como isto agora levou mesmo um carimbo oficial voltei á carga, só para espalhar ainda mais o virus vindo de NO.
Como disse três destas musicas são eram conhecidas, neste caso a "Out of the Mouth of a Fool", "By Every Hand Betrayed" a bruta e excelente cover de Nirvana ("Sifting") que apareceu num tributo a banda do Cobain...
A unica novidade aqui são os dez minutos da "Baton Rouge, Louisiana".
Aqui pela primeira vez THOU entra em dominios totalmente Drone, tipicos das lesmas Sunn O))), embrulhando e gerando uma autentica balada em movimento lento onde o uso de samples ainda consegue adensar mais a toxicidade da faixa.
Mais palavras para quê?
Isto é THOU caralho...a ouvir bem alto foda-se!!!
http://www.mediafire.com/?czjbrzmyzy3

Year of No Light-Ausserwelt


Realmente surpreendente este novo trabalho dos franceses Year Of No Light, e em todos os sentidos na minha opinião.
Para quem os conheceu com o Nord (como eu) e tem assistido ao desenrolar da historia desta banda sabe bem aquilo que estes rapazes de Bordeus sabem criar...e este novo "Ausserwelt", não foge á regra e mais uma vez os confirma como um dos nomes da linha da frente do actual Post-qualquercoisa europeu.
Descrever estes quarenta e tal minutos de musica até nem seria dificial, bastaria para isso apenas dizer, VIAGEM ou JORNADA, assim mesmo com caps lock, porque aquilo que aqui se ouve, sente e vive, é exactamente isso mesmo, uma autentica viagem por entre paisagens post com delirios de shoegaze progressivo e explosões "sludgedoomicas" daquelas da nova geração.
Totalmente instrumental o que ainda acaba por dar mais enfase e vivacidade a musica, aquilo que aqui se ouve é quase uma brisa de ecos sonoros que nos elevam até a estratosfera e nos deixam a pairar nas nuvens...sejam elas de cinza ou não a banda consegue manter-nos mesmo suspensos ao longo da escuta do album.
Por vezes soando quase de uma forma angelical, lembrando aqueles momentos etereos do classico The Silent Enigna (que cada vez mais é na minha opinião uma imensidão de influencias para este estilo) outras mais explosivas, aquilo que se retem é mesmo uma sensação de ar bem fresco na cara que nos vai deixando quase imoveis e de olhos fechados enquanto seguimos todos os acordes saidos das mãos destes seis rapazes.
È quase impossivel ficar indiferente a musicas como as Perséphone tanto a I como a II, e no caso desta ultima chega mesmo a ser arrepiante sentir o dedilhar das guitarras em simbiose com a bateria ao longo da faixa...
Curiosamente a falta de vocalizações aqui poderia ser visto como um passo em falso pela banda, mas afinal nada disso se passa ou sente alias até me parece que este material para ter voz teria de ter um vocalista muito, mas mesmo muito inspirado porque os temas aqui representados são mesmo de uma grandiosidade e genialidade quase aberrante...falo por mim isto assim desta forma é um autentico doce daqueles que dá um prazer do catano em ouvir e explorar.
Costuma-se dizer ás vezes que certa musica é um orgasmo musical, pois bem acho que se querem mesmo um bom exemplo para isso é ouvirem mesmo este Ausserwelt.
Absolutamente fantastico e de escuta obrigatoria para todos os que aqui caiem...sejam de paraquedas ou não.
Abram os braços, fechem os olhos e sintam, digo SINTAM isto...
http://hotfile.com/dl/39963800/b84e170/Year_Of_No_Light_-_Ausserwelte_2010.rar.html
PS-não sei se este link tem o album completo, porque andam ai alguns que não tem a primeira musica, se for o caso avisem que tento encontrar outro.

The Wakedead Gathering-Tenements of Ephemera


Bem e vamos continuar na onda do DM que por ai anda, mas as vezes as coisas acabam por se tornar maçadoras....como tem acontecido com as ultimas tendencias.
Este é mais um projeto que surge este ano vindo dos Estados Unidos,dão pelo nome de The Wakedead Gathering e sairam da mente de um tal Andrew Lampe que aqui é o one-man show já que é ele que faz tudo, desde a voz até a todos os instrumentos ao que parece.
A sonoridade é bem old-school que tanto vai buscar influencias á escola sueca bem ao estilo de um Swano como a certas larvas americanas como Immolation ou Nile.
Dito isto já dá para se ficar com uma ideia daquilo que o rapaz aqui cria, DM potente, da velha guarda e com um toque meio obscuro...
Bem vistas as coisas o unico aspeto que aqui acaba por soar um pouco estranho é mesmo um certo sabor a "plastico", já que muitos dos instrumentos aqui usados são criados com maquinaria japonesa, se é que me faço entender, e isto por vezes soa um pouco estranho.
Acredito que o material aqui exposto se tivesse como base algo mais real soaria melhor, porque na realidade existem aqui boas cenas e algumas boas ideias, mas que acabam por se perder um pouco com base nesse aspeto menos positivo.
E ainda mais se fica com essa ideia quando TWG consegue disfarçar um pouco esses pormenores e entrar em ebulição, talvez uma mistura final mais absorvente não ficasse mal...
Mas pronto para primeira amostra até se ouve embora não seja algo que esteja ao nivel de uns Burial Invocation ou Sperm of Antichrist, consegue mesmo assim abrir algumas portas para o futuro, mas a ver vamos...
Se estiverem interessados cliquem:
http://www.mediafire.com/?fmmyfdtzgze

Medicamentos







Semana de aniversario...logo semana de fumos, PESO muito PESO e coisas assim:
Conan-Horseback Battle Hammer, espectacular mcd destes ingleses do melhor e mais poderoso Doom que ouvi este ano..essencial.
Pombagira-The Crooked Path, adoro esta banda, mas por uma razão ou outra ainda não tinha comprado, excelente Doom!
Pombagira-Black Axis Abraxas, idem
Mare-Mare, adoro esta banda que infelizmente só lancou este mcd, esta é uma peça de colecionador já que se trata da edição japonesa..classico do genero!
Overmars-Born Again, excelente e numa palavra bruto..essencial a todos os fans de descargas apocaliticas vindas do Sludge|Doom...
Abyssic Hate Tribute-Suicide For Your Solution, como o titulo indica é um tributo a AH.
...

Premonições:Watain Part IV


Só existem 1000 e uma delas já tem cravado o meu nome...
Edição limitada e especial do "Lawless Darkness" de Watain:
Only 1.000 copies will be available worldwide! Season of Mist proudly presents the strictly limited edition of WATAIN's sensational album “Lawless Darkness”! The spectacular box set comes in the shape of a fully leather bound book! This grand grimoire of the Swedish Black Metal magicians contains the Digipak version of "Lawless Darkness" including the Death SS cover "Chains of Death". The box also contains these exclusive items: a Watain symbol pendant with chain, a black candle in wrapping, a full colour flag 123 cm x 75 cm with 2 metal rings and 10 tarot cards in a pocket, which have been specially designed one for each song by E from WATAIN!
http://e-shop.season-of-mist.com/en/catalog/show/23403

Amestigon-Sun of All Suns


Há uns anos atrás a cena extrema da Austria tinha uma serie de bandas que quase se batia em termos de inspiração com os vizinhos mais a norte.
Nomes como Abigor,Dargaard,Summoning,Die Verbannten Kinder Evas,Heidenreich,Ice Ages,Golden Dawn,Grabesmond eram quase uma resposta a todos aqueles nomes nordicos que entretanto surgiam.
Se existiam coisas de Aghast até Emperor, a cena austrica criava boas bandas que competiam com esses nomes quase lado a lado e que conseguiam manter um burburinho quase constante no underground europeu sempre que surgia um novo lancamento.
Com o passar dos anos, tal como aconteceu com os outros mais a cima, este universo desvaneceu ora porque simplesmente pararam ora porque deixaram de fazer sentido, mas as coisas atualmente parecem estar a ganhar novamente forma..
Por um lado temos uns novos Abigor que tem vindo a surpreender cada vez mais nos ultimos tempos,DVKE continuam a destilar boa musica e agora surgem estes Amestigon que curiosamente já levam mais de 15 anos de banda mas que só este ano lancam o primeiro longa duração.
Para quem não sabe esta banda é formada por alguns nomes ligados a algumas bandas de culto austriacas.
O vocalista é o Silenius de Summoning e ex Abigor, o baterista é o Tharen outro Abigor e companheiro da senhora Toriser em Dargaard (já lancavam alguma coisinha tambem) e depois ainda temos o Lanz de Dominion III nas guitarras..
Ora com todos estes nomes juntos as expetativas criadas eram mais que muitas e sinceramente na minha opinião temos aqui um album realmente fantastico.
Cada musico aqui envolvido tras consigo um pouco daquilo que tão bem já criou no passado e que se acaba por dissolver no som de Amestigon.
O que aqui se ouve é BM numa vertente progressiva por momentos quase espacial, mas sem cair no basico ou no aborrecido do genero é certo que aqueles riffs tipicamente austriacos se ouvem por aqui bastante e em alguns temas existe um certo sabor a Rotting Christ dos bons velhos tempos, em especial na faixa que dá titulo ao album ou na "That Which Is Falling..." mas isto tem a sensação deliciosa bem atual ao contrario do que se possa pensar á primeira imagem.
No geral, adorei este trabalho, bastante mesmo é que existem aqui musicas como a Daymares, Ketamine & Misanthropy ou a Satanic Flesh que são sem duvida alguma do melhor que ouvi este ano dentro deste estilo.
Conseguem equilibrar a componente extrema com a parte mais ambiental dando origem a uma mistura de sensações bastante dilacerante e introspetiva, então na "Daymares" encontram-se toquezinhos que vão de Alcest (bastante agradavel e que supera os franceses) até uma qualquer boa banda de BM mais extremo soando realmente absorvente este tema...e isto é algo que gosto bastante de encontrar neste genero de albuns.
A ouvir e a descobrir, porque como disse este é a meu ver um dos mais interessantes albuns de BM deste ano e se não conhecem não o deixem passar ao lado.
http://rapidshare.com/files/382616278/ASOAS.rar

Conan-Horseback Battle Hammer


Esta merda é demais...
Esta porra é monstruosa...
Esta porcaria é uma manada de elefantes a correr na nossa direção...
Esta cena é uma autentica trovoada de riffs em slowmotion...
Esta coisa é lenta e arrastada mas tão lenta e arrastada que quase parece que se a terra se move..
Esta banda é das melhores cena que ouvi este ano até dentro do Sludge/Doom/Drone...
Este ep não é para meninos...
OBRIGATORIO, DEVASTADOR ISTO É DOOOOOOOOM FODA-SE!
http://www.megaupload.com/?d=58L0073X

Skitliv - Bloodletting


Que teve a oportunidade de ser esfaqueado pelo anterior "Skandinavisk Misantropi"de Skitliv sentiu que existia ali algo especial, já que a atual abordagem que o ex Mayhem faz a sua musica tem mais que pernas para andar....
Surge agora um novo registo da banda neste caso um ep de edição limitada a 777 copias e mesmo sem trazer nada de novo consegue manter o projeto vivo...
São 3 faixas, sendo que uma delas (a primeira) é nada mais que a intro que Current 93 usa nas suas actuações ao vivo e que aqui foi aproveitada para intro do ep.
As duas seguintes, vêm do album anterior, a "Slow Pain Coming" que aqui leva o acrescento "(Cold Spring Mix)" e que ficou bastante interessante e que talvez seja um caminho a explorar no futuro, aquele riff inicial totalmente Black Sabbath ficou excelente, e ainda mais pesado que na versão original do album...depois tudo termina com crua "A Valley Below" versão demo que não acrescenta nada de novo e apenas serve para sentir o esqueleto inicial do tema.
Para curiosos que gostaram do album anterior anterior...somente.
http://www.mediafire.com/?1n0cxnjuyzj
Fica aqui a versão do SPC do anterior SM..