Heavenwood-Redemption


Parece que o tempo parou ou melhor voltamos uns anos atrás.
Heavenwood são uma banda (entre muitas outras nacionais) que tiveram tudo para se tornarem grandes mas que ficaram pelo caminho por razões estranhas e sinceramente..agora é tarde para sobressair ou talvez não.
Foram a par de Moonspell das primeiras a despertar atenção lá fora de uma maneira mais interessante e forte.
Acredito que um pouco embalados pela descoberta de Moonspell certas editoras comecaram a ver com outros olhos o que se ia fazendo por cá e a fantastica demo Emotional Wound ajudou bastante já que é uma das coisas mais interessantes jamais feitas no nosso Underground.
A Massacre Records uma das editoras mais atentas na altura pega neles, mudam de nome surge esse monumental album chamado Diva que ainda hoje é ouvido com alguma regularidade por estes lados..e começava-se a fazer historia.
Digressões com algumas bandas como Atrocity levam o nome da banda a varios lugares por essa Europa fora conseguindo boas reações tanto a nivel critico como de publico.
Dois anos mais tarde surge o segundo album Swallow que colhe um pouco os louros da fama do album de estreia e demonstra uma banda digamos um pouco diferente,mais roqueira e não tão fechada no universo Death-Doom.
A participação de alguns nomes como o da Liv Kristine e o Kai Hansen tambem ajudou um pouco mas o resultado foi positivo,muito mesmo.
E quando tudo estava encaminhado para serem uma especie de "novos" Moonspell surge o Silencio.
Estranhamente a banda começa a ter problemas mais dramaticos de formação e as coisas comecam a estagnar e chega o anuncio da morte da banda.
Anos mais tarde começam a surgir rumores que poderiam voltar e com alguns avanços e recuos chega finalmente a promo deste album no ano passado.
Mostra uma banda ainda com ideias e mais pesada por vezes quase crua e que faz crescer agua na boca a muitos fans eu incluido.
O resultado desse trabalho está agora visivel neste Redemption,e como dizia o outro quem sabe nunca esquece.
O agora trio pega naquilo que os tornou "famosos" e dá de novo,não inova nem cria algo de original(tambem não me parece que seja isso que queiram),mas faz a continuação logica do Swallow e de uma maneira simples,eficaz e honesta nem muitos adornos nem muitas modernices.
Mais uma vez o trabalho criado pelas guitarras do Ricardo Dias e do Bruno Silva é algo que merece ser ouvido bem alto e a voz pelo menos em estudio do Ernesto enquadra-se mais uma vez perfeitamente no som da banda.
É o album mais "rapido" lançado por eles até hoje,um grito de raiva pelo que lhes foi acontecendo ao longo dos tempos não sei.
O amor,a perda, a tristeza,sofrimento e a solidão continuam a ser as principais influencias liricas autenticos poemas negros cantados com sentimento.
O mal nisto é que este era um album perfeito para os finais da decada de 90 e talvez não tanto para agora e por isso acho vai passar ao lado de muita gente o que é pena porque é um trabalho a meu ver acima da media e superior a muita choraminguisse sonora que por ai anda.
Muito bom regresso espero que seja para ficar mais uns anitos por cá....por aqui tem rodado bastante
http://www.myspace.com/heavenwood

3 comentários:

Julius Caligula disse...

Caro critico, não concordo com você. Acho que este novo álbum é o melhor do Heavenwood, e eu adorei. Eu também acho queles poderia ter ficado maiores, pois a qualidade de sua musica é algo inegável e os considero uma das melhores bandas de Gothic Metal do mundo. A única coisa que realmente não gostei é o novo visual dos integrantes. Mas de resto, está tudo perfeito.

Julius Caligula disse...

Meu blog:
www.apaistermusic.blogspot.com

Anónimo disse...

Caro Calígula, nao faço parte de nenhum blog ou parte de qualquer site, mas temos o livre arbitrio de fazermos nossos comentários.